Região de Barretos retorna à fase amarela do Plano São Paulo

Governo de São Paulo atendeu solicitação do Codevar, após constatar melhora dos índices da DRS-5 na última semana.

0
47
(Divulgação/Governo de SP)

A região de Barretos avançou para a fase amarela do Plano São Paulo, em atualização extraordinária na tarde de sexta-feira (23), em reunião entre o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o deputado federal Geninho Zuliani e prefeitos do Codevar (Consórcio de Desenvolvimento do Vale do Rio Grande), presidido pelo prefeito de Bebedouro, Fernando Galvão.
Desde o rebaixamento da DRS-5 (Diretoria Regional de Saúde) em 9 de outubro, sendo a única do estado na fase laranja, os prefeitos do Codevar solicitaram a revisão de fase, pedindo o retorno da fase amarela aos 18 municípios da regional e, desde então, aguardavam resposta do Governo de São Paulo.
Na tarde de sexta (23), em reunião virtual tratou-se o tema. O assunto não foi discutido em coletiva de imprensa, porque diz respeito, exclusivamente, ao recurso impetrado pelo Codevar. Na reunião, foi anunciado o retorno da DRS-5 para a fase amarela, após o Comitê de Contingenciamento analisar a performance regional nesta semana e constatar melhora dos números.
De acordo com o Comitê, a região apresentou queda de 30% no número de casos desde o rebaixamento à fase laranja; o número de internações por 100 mil habitantes, nos últimos 14 dias, passou de 80,5 para 50,2 e o número de óbitos, responsável pelo rebaixamento da região, teve redução de 23% na avaliação estadual. Ainda de acordo com o Governo do Estado, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva da região era de 48,5% na sexta-feira (23).

Atualização de casos
De acordo com boletim epidemiológico de sexta (22), Bebedouro tem 1.471 pessoas infectadas com Covid-19, desde março deste ano, sendo 1.294 residentes em Bebedouro e 177 moradores da microrregião.
Do total de pessoas contaminadas, 10 estão em isolamento domiciliar, apresentando sintomas da Covid-19: são oito de Bebedouro e dois da região. Há também 1.419 pacientes que já estão recuperados da doença (96,46% do total), sendo 1.244 bebedourenses e 175 moradores dos municípios da região.
O número de vítimas fatais da Covid-19 na cidade segue em 42, desde a última terça-feira (13). No total, 24 pessoas morreram em hospitais locais e 18 em unidades de saúde de outras cidades.
O boletim aponta que há 10 bebedourenses nas UTIs, em tratamento da Covid-19, sendo nove em hospitais de Bebedouro e apenas um em unidade de saúde de Barretos. Há ainda 10 infectados em enfermarias, com sintomas leves. Todos estes não constam do total de infectados.

Isolamento e média móvel
O isolamento social de Bebedouro, que estava em 50% na terça-feira (20), subiu para 52% na quarta (21), ocupando o 2º lugar dentre as cidades mais bem colocadas do estado. Já na quinta (22), caiu para 48%, mantendo-se em 2º lugar.
A média móvel da cidade é de 6,85 novos casos diários, considerando os últimos sete dias.

Comparativo de regiões
A Gazeta compara dados das regionais de saúde de Barretos e de Araraquara, que apesar de apresentarem diferenças no número de habitantes e de situação epidemiológica, ambas estão na fase amarela do Plano São Paulo.
A DRS-5, com sede em Barretos, mais 17 cidades, incluindo Bebedouro, com seus 440,8 mil habitantes, até sexta (23), somava 15,14 mil casos confirmados do novo coronavírus e 405 óbitos causados pela doença. A taxa de letalidade da regional, que analisa a porcentagem de pacientes infectados que morrem por Covid-19, é de 2,68. A DRS-5 também contabiliza 3.434 contaminados para cada 100 mil habitantes.
Analisando a DRS-3 de Araraquara, que engloba 23 municípios paulistas, totalizando 776,12 mil habitantes, apurou-se que as cidades somam 18,2 mil casos positivos e 354 mortes registradas. O índice de contaminação é de 2.344 infectados por 100 mil habitantes e a letalidade e de 2,22%, na regional de Araraquara.
Os dados mostram que, apesar de mais populosa e com mais casos confirmados em números absolutos, a DRS-3 apresenta menores índices de contaminação e de letalidade que a DRS-5.

 

Publicado na edição nº 10528, de 24 a 27 de outubro de 2020.