Ronda Covid multa dois estabelecimentos em descumprimento de decreto, no fim de semana

Além de comércio, feira livre e praça no Extremo Norte também foram alvos de denúncias.

0
301

Mais um fim de semana com denúncias de aglomerações em estabelecimentos comerciais e espaços públicos foram registradas pela Ronda Covid, em Bebedouro. Somadas as denúncias feitas à Guarda Civil Municipal e Vigilância Sanitária, entre sexta-feira (14) e domingo (16), 12 locais foram vistoriados, e dois multados por descumprimento do decreto municipal que regulariza funcionamentos nesta fase da pandemia.

Na sexta-feira, dois estabelecimentos foram denunciados à Guarda Civil. Um deles, no centro da cidade, foi multado por exceder horário de funcionamento. Outros três foram vistoriados em diferentes pontos da cidade, pela Vigilância Sanitária – todos dentro das normas do decreto.

No sábado (15), devido a falha nas instalações telefônicas da GCM, não foram recebidas denúncias pela Guarda. No mesmo dia, a Vigilância realizou outras três vistorias. Novamente, os ambientes vistoriados seguiam as normas estabelecidas. Segundo o comandante da GCM, Lorival Padovan, o serviço telefônico foi reestabelecido no dia seguinte.

Mais aglomeração

Na manhã de domingo (16), na feira livre na praça Valêncio de Barros, no centro, a Gazeta flagrou momento de aglomeração em uma das barracas instaladas no local. Com música ao vivo, consumidores reunidos consumiam comidas e bebidas, e cantavam, ao redor do músico, sem máscaras e desrespeitando o distanciamento social. A Ronda Covid foi acionada e compareceu para fiscalização.

“Todo final de semana este músico vai até a barraca cantar. Conversamos com o proprietário do local, e ele disse que é praxe. Devido à aglomeração, cadeiras onde pessoas se aglomeravam foram retiradas e o músico orientado para evitar aglomeração”, esclarece Padovan.

Na noite do domingo, outras duas fiscalizações foram realizadas pela Guarda Civil. Uma delas, em conjunto com a Vigilância Sanitária, fiscais de postura e apoio da Polícia Militar, em estabelecimento localizado no Jardim Cláudia, Extremo Norte de Bebedouro. Vídeos postados em redes sociais denunciavam o local, com música ao vivo.

O decreto municipal até então vigente, autorizava a presença de músicos em estabelecimentos. Porém, sem utilização de pista de dança – o que não acontecia no local. “Recebemos várias denúncias deste estabelecimento, por isso, resolvemos fazer operação conjunta. Foi constatada aglomeração, o local foi multado e a viatura permaneceu no ambiente até que todos se dispersassem”, relata Padovan.

Outro ponto denunciado para fiscalização e vistoriado na noite de domingo, é uma praça localizada no Jardim Primavera, em frente à avenida Mário Rimoli, também no Extremo Norte. “A praça virou point. Fechamos o Lago para não causar aglomerações e agora as pessoas estão se aglomerando neste local. Bebida alcoólica, manobras com motos. Os moradores têm reclamado muito. Fomos ao local duas vezes. No início da noite, o pessoal se dispersou. Por volta das 22h, se reuniram novamente, próximo aos pontos comerciais. Permanecemos e pedimos para que se retirassem. É uma praça maravilhosa, mas que os jovens têm usado de outra forma”, desabafa o Comandante.

Igrejas lotadas

Em denúncia à Gazeta de Bebedouro, moradores reclamam da lotação em espaços religiosos durante cultos aos fins de semana. Questionado sobre fiscalizações nestes ambientes, Daniel Toledo, Supervisor de Serviços da Vigilância Sanitária, explicou o procedimento. “A fiscalização nestes ambientes é feita como em qualquer outro local. No decreto, há limitação de pessoas, uso de máscara e álcool em gel. Nesta terça (18), vamos verificar uma denúncia relacionada”.

“Em igrejas, não fazemos fiscalização aleatória. Geralmente, as celebrações acontecem todas no mesmo horário, então procuramos fazer atendimentos guiados, para comprovar se estão dentro das normas de funcionamento. Às vezes vocês recebem a denúncia, mas elas não são realizadas de maneira oficial por quem denúncia para a Ronda Covid,” explica Lorival Padovan.

Como denunciar?

Denúncias oficiais podem ser realizadas pelos telefones da Guarda Civil Municipal, 199 e 153. Há também telefones da Vigilância Sanitária: (17) 3343-3416 e (17) 3342-5389. Podem ser feitas de maneira anônima, porém, com informações completas e verídicas, que auxiliem ao invés de prejudicar o trabalho da equipe.

Publicado na edição 10.579, de 19 a 21 de maio de 2021.