“Sem esperança, a chance de se perder é grande”

0
730
Ele existe - O pediatra Marcio Aguilar Padovani, mesmo que discretamente abre o coração e compartilha amadurecimento e competência com os leitores.

Não cabem no espaço todas as qualidades e características ímpares a serem salientadas deste bebedourense. Jovem, competente, solidário, inteligente e apaixonado pela família. Grato aos pais, esposa e filha, o médico Marcio Aguilar Padovani é o entrevistado do Gente desta semana. Um grande presente aos leitores.

Tímido, conta como deu início à carreira, as dificuldades da trajetória de apenas 49 anos, a importância do elo familiar, da fé e de seus pequenos e tão bem cuidados pacientes.

Filho mais velho da dona de casa Lázara e do bancário Walter Padovani, começou namorar sua esposa, Joseane, quando tinha apenas 15 anos e desde lá, ficaram apenas um ano separados. A chegada da filha Maria Fernanda foi, sem dúvida, o maior presente recebido pelo casal, e quando o assunto é ela, a emoção vem à tona com toda força.

Para Padovani, as dificuldades da profissão, principalmente, por estar na pediatria, é a terceirização de responsabilidade dos pais, em relação à saúde dos filhos. Um assunto delicado. A escolha pela saúde da criança como profissão pode ter sido influenciada por seu pediatra João Galão.

(…)

Leia mais na edição nº 10205, de 25, 26 e 27 de novembro de 2017.