Taxa de infecção por Covid-19 em Bebedouro é a maior da região: 15,80%

A Gazeta analisa também a taxa de letalidade, 2,77% em Bebedouro, terceiro lugar no ranking de cidades vizinhas, do mesmo porte.

0
38

A taxa de infectados por Covid-19, em Bebedouro é a maior entre quatro cidades da região, considerando a população estimada para 2021, segundo o IBGE, de 77.612 e 12.267 positivados, de acordo com boletim epidemiológico, tendo, então, 15,80% da população infectada.  Este índice também é superior na comparação com o índice do Brasil e do Estado de São Paulo.

No ranking das cidades vizinhas, Sertãozinho ocupa a 2ª posição, com 15,67% (20.126 casos e população de 128.432). Na sequência, Barretos tem 14,41% da população infectada (17.811 casos em 123.546 pessoas); Jaboticabal vem na sequência, com contaminação de 9,51% (7.428 casos em 78.029 habitantes) e Matão, que ocupa último lugar nesta seleção com taxa de 6,62% (5.571 casos em 84.069 habitantes).

O Estado de São Paulo registrou até os dados de terça-feira (22), 4.431.196 casos positivos de coronavírus em população estimada para 2021 de 46.649.132 pelo IBGE, resultando em taxa de infecção de 9,49%. No Brasil, a estimativa populacional do IBGE para 2021 é de 213.317.639, e os casos reunidos pelo Consórcio de Veículos de Imprensa somam 22.018.889, apresentando taxa de infecção de 10,32%.

Já o número de óbitos por Covid, relativo à quantidade de casos registrados pela doença, definem a taxa de letalidade, que em Bebedouro está em 2,77% (340 óbitos em 12.267 casos), ocupando a 3ª posição dentre as quatro cidades da região. No topo,  Matão tem letalidade de 3,75%,(209 mortes em 5.571 casos). Barretos ocupa a 2ª posição com taxa de 3,3% (588 óbitos e 17.811 positivados). Em 4º lugar está Sertãozinho com letalidade em 2,48% (499 mortes em 20.126 casos) e Jaboticabal fica em último, com 118 vítimas fatais de 7.428 casos, taxa de 1,59%.

A taxa de letalidade de Bebedouro, no entanto, é menor que a do estado de São Paulo e do Brasil. No estado, a taxa de mortalidade está em 3,46%, com 153.477 mortes em 4.431.196 casos confirmados da doença . No país, a taxa é de 2,78%, com 612.842 mortes em 22.018.889 positivados por Covid-19.

Vacinação

O número de faltosos da 2ª dose caiu 11,38% e está em 4.874. Na última publicação da Gazeta, em 20 de novembro, eram 5.500 pessoas sem completar o ciclo vacinal. Os faltosos da dose de reforço cresceram, estavam em 3.000 e agora somam 4.078 (+35,93%), reflexo da antecipação da dose de reforço para todos maiores de 18 anos que completaram cinco meses da segunda dose.

 

Mais vacinados – Cerca de 140 doses são aplicadas durante inauguração da decoração de Natal, na Praça da Fonte, na noite de domingo (21). (Gazeta)

Para Thaís Teixeira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica, os mutirões realizados na cidade revelam efeitos positivos: “Estamos conseguindo diminuir o número de faltosos da segunda dose que já chegou a 7 mil. No final de semana fizemos 881 aplicações nos pontos espalhados pela cidade”.

A coordenadora avalia o ponto da Praça Barão do Rio Branco como principal vacinador durante o mutirão: “Somente na inauguração da decoração de Natal aplicamos 140 doses, é um número considerado bom para um único ponto”.

O vacinômetro, atualizado pelo governo de São Paulo às 12h de terça (23), mostra 63.675 pessoas com 1ª dose (82,10% da população), 59.538 com 2ª dose ou dose única (76,77%) e 8.067 bebedourenses já estão com a dose de reforço no braço (10,40%).

Casos e Internações

Bebedouro completa 50 dias sem registro de óbitos por Covid-19, a última aconteceu em 4 de outubro (uma segunda). O número de positivados chegou a 12.267, um a mais desde a última publicação da Gazeta, no sábado (20).

O Boletim Epidemiológico aponta três casos em monitoramento e 21 pessoas aguardando resultados de exames.  Há ainda um paciente em UTI da rede privada e nenhum nas enfermarias. No Hospital Estadual não há pacientes em leitos de enfermarias e UTIs.

Publicado na edição 10.626, de, 24 a 26 de novembro de 2021.