Um amor “especial”

“Ser mãe de um menino autista é uma dádiva, porque aprendo mais do que ensino”

0
189
Perseverante – Para Marina Alcântara, que nunca desistiu de lutar pelos direitos do filho autista, ser mãe de uma criança especial é aprender mais do que ensinar. (Arquivo pessoal)

Não é sobre novela em horário nobre, mas o Gente desta semana é sobre “Amor de mãe”. A entrevistada é mãe de três filhos, Rakelly, Rayssa e Raphael, um jovem com TEA (Transtorno do Espectro Autista), que dá lição de perseverança e dedicação aos filhos.
Filha de comerciantes e nascida em Bebedouro, Marina Machado de Alcântara enfrentou o preconceito e as críticas em nome do amor pelo filho especial, acreditando que sua condição só o torna mais especial, fato confirmado com a condecoração de Raphael a Mister Inclusão 2019.
Casada há 17 anos, mudou-se para Pirangi com o esposo, mas retornou à sua cidade natal, onde encontrou o apoio da família para levantar-se da depressão e dar auxílio ao filho autista, através da Apae e da Emeb Stélio Machado Loureiro, onde Raphael está sendo alfabetizado, aos 15 anos.

Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

 

Publicado na edição nº 10450, de 7 a 10 de dezembro de 2019.