Vacinação contra gripe pode ser antecipada

0
223

Em Bebedouro, comercialização deve começar na 1ª quinzena de abril.

Prevista para ser iniciada em 30 de abril em todo o país, a vacinação gratuita contra a gripe pode começar mais cedo no estado de São Paulo, após pedido de antecipação pelo secretário da Saúde do Estado, David Uip, ao ministro da Saúde, Marcelo Castro. Segundo a Vigilância Epidemiológica, a previsão continua sendo para o fim do próximo mês.
“Ainda não recebemos nenhuma orientação sobre vacinação, mas a programação é que a campanha aconteça no final de abril”, informa a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Donília de Toledo Alves.
Conforme publicado na edição nº 9.966 da Gazeta, cidades da região já registraram casos da gripe H1N1, com 15 mortes na cidade de São José do Rio Preto. No estado de São Paulo, o número chega a 38 mortes em decorrência da doença.
Na manhã de segunda-feira (28), foi feito pedido, por parte do secretário da Saúde do Estado ao governo federal, para que a campanha seja antecipada, mas a enfermeira da Vigilância Epidemiológica reitera ainda não ter recebido qualquer orientação.
A vacina oferecida pelo SUS (Sistema Único de Saúde) é a trivalente, que engloba, entre os vírus da gripe, o da Influenza A/H1N1.
A Gazeta realizou levantamentos entre os locais de Bebedouro, sobre a venda de vacinas contra a gripe. Apenas a farmácia da Unimed comercializa a imunização, do tipo quadrivalente, englobando também o vírus da gripe H1N1. A previsão de chegada na Unimed é 15 de abril, ainda sem informações sobre seu custo.
A reportagem também conversou com a clínica de vacinação Imunizar, através da enfermeira Cláudia Mantovani Ferreira, que informa a previsão de chegada da vacina entre 5 e 11 de abril. Na clínica, o tipo de vacina oferecido também é a quadrivalente.
A enfermeira destaca a importância da prevenção: “O correto seria que o governo oferecesse a vacina a todas as pessoas, mas como não é possível, acabam priorizando a alguns grupos, como idosos, crianças e pessoas com doenças crônicas. Então, as pessoas que não fazem parte destes grupos, ficam vulneráveis”. Ou adquirem a vacina por contra própria.
Ainda segundo Ferreira, a faixa etária permitida para receber a imunização é a partir dos seis meses de vida.

Publicado na edição nº 9966, de 29 e 30 de março de 2016.