Voluntários do HC de Ribeirão Preto começam testar vacina

Estado registra queda de 4% no número de óbitos por coronavírus na semana de 19 a 25 de julho, em relação à semana anterior.

0
17
À disposição - João Doria e secretários respondem aos questionamentos dos jornalistas, no Palácio dos Bandeirantes, sobre as últimas medidas de enfrentamento ao novo coronavírus, na segunda (27). (Divulgação/Governo de SP)

Dos 12 centros de pesquisa brasileiros selecionados para os testes clínicos da vacina contra o novo coronavírus, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas e o HC (Hospital das Clínicas) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP iniciam a pesquisa nesta quinta-feira (30). No dia seguinte, será a vez da Universidade Municipal de São Caetano do Sul e do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Boas notícias – João Doria e o Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde, anunciaram, em coletiva de imprensa, a queda de óbitos no Estado e o início dos testes da vacina contra o novo coronavírus no HC de Ribeirão Preto. (Divulgação/Governo de SP)

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o Emílio Ribas e o Centro da UFMG contarão com 852 participantes cada. Já a Universidade Municipal de São Caetano do Sul terá 652 voluntários, além de outros 500 no HC de Ribeirão Preto.
A testagem coordenada pelo Butantan tem a participação de 9 mil voluntários e está prevista para ser concluída entre o final de outubro e início de novembro. O primeiro centro a testar a Coronavac em voluntários foi o HC da Faculdade de Medicina da USP, na capital, na terça-feira (21). A terceira fase de testes no HC em São Paulo é direcionada a 890 voluntários. O início dos testes nos demais centros será anunciado nos próximos dias.
A vacina está em fase final de pesquisa por meio de parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica Sinovac Life Science, que forneceu as doses do imunizante para a realização de testes clínicos de fase 3 em voluntários no Brasil.
Caso a vacina seja aprovada, a Sinovac e o Butantan firmarão acordo de transferência de tecnologia para produção em escala e fornecimento gratuito ao SUS. Os passos seguintes serão o registro do imunizante pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e distribuição no Brasil.
Respiradores – Até o momento, foram entregues no Estado de São Paulo mais de 3 mil respiradores. Nesta semana, mais 111 equipamentos estão sendo distribuídos, a partir de terça-feira (28), para as regiões de Araraquara, Barretos, Bauru, Campinas, Franca, Grande São Paulo, Marília, Piracicaba, São José do Rio Preto, Sorocaba e Taubaté.
Segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, “a região de Barretos recebeu 51 respiradores, além disso, também estamos com trabalho intenso nas regiões onde a fase vermelha ainda persiste neste momento, para que possamos aumentar a capacidade hospitalar em três regiões: Ribeirão Preto, Piracicaba e Franca”.
Queda nos óbitos – O Estado de São Paulo registrou queda de 4% no número de óbitos por coronavírus na semana de 19 a 25 de julho em relação à semana anterior, de 12 a 18 de julho.
“Estes números demonstram nossas projeções na diminuição gradual do impacto da doença na capital, na Grande São Paulo e no litoral. O aumento no interior, até aqui, está dentro do que foi projetado e, portanto, sob absoluto controle”, afirmou João Doria, em coletiva de imprensa na segunda-feira (27), no Palácio dos Bandeirantes.
No mesmo período, a diminuição de mortes provocadas pela Covid-19 na capital foi de 27%. Novas internações tiveram queda de 4% na cidade de São Paulo e também de 4% no estado. No interior, houve aumento de 16% de óbitos na comparação entre as duas semanas. Por outro lado, o interior registrou, pela primeira vez, queda nas internações, de 2%.
“É a primeira vez que o interior apresenta queda nas internações de doentes por Covid-19. Observando o cenário paulista, só tivemos três regiões no estado que registram aumento nas internações ao longo deste período, Araçatuba 13%, Bauru 18% e Franca com 20%. No geral, houve melhora significativa pela primeira vez no interior com queda nas internações”, observou Marco Vinholi, mencionando que o índice de letalidade no estado caiu 4,47%, “significando tanto aumento na testagem diagnóstica como na qualidade da saúde em todo o estado”.
Novas regras para o Plano SP – O governador João Doria anunciou, na segunda-feira (27), novos critérios para o Plano São Paulo de retomada econômica e enfrentamento ao coronavírus. Agora, para uma região avançar da fase amarela à verde, o percentual de ocupação de leitos poderá variar entre 75% e 70%, além de permanecer por 28 dias consecutivos na etapa intermediária. As regras começam a valer a partir de sexta-feira (31).
Dentre os critérios anunciados, está a alteração do índice de ocupação de leitos de UTI, que atualmente precisa estar abaixo de 60%, para até 75%. A medida permite que municípios liberem leitos de UTI reservados a pacientes graves com coronavírus para outras especialidades médicas que tiveram o atendimento adiado ao longo da pandemia.
Outra atualização é que os indicadores de variação das internações e variação dos óbitos exigirão números absolutos por 100 mil habitantes. Os novos índices ainda serão aprovados pelos especialistas do Centro de Contingência do coronavírus, mas devem ficar abaixo entre 30 e 40 internações e de três e cinco mortes por 100 mil habitantes.

 

Publicado na edição nº 10505, de 29 a 31 de julho de 2020.