25 cidades suspendem aulas presenciais neste ano

Decisão tomada em conjunto com as 25 cidades do Codevar estende-se para rede municipal, estadual e privada.

0
30

Com o decreto municipal assinado pelo prefeito Fernando Galvão na sexta-feira (18), novas medidas foram tomadas para flexibilização do atendimento de bares e restaurantes, academias e salões de festa, além de definir a suspensão das aulas presenciais até o fim deste ano.
A suspensão das aulas foi anunciada pelo prefeito em transmissão ao vivo no fim da tarde de sexta (18), ao lado do secretário de Educação, Rodolfo Rodrigues, e da secretária de Saúde, Sônia Junqueira.
Segundo Galvão, a decisão foi tomada após reuniões com especialistas em Saúde e Epidemiologia, analisando número de casos, crescimento da curva epidemiológica ao longo das semanas, taxa de ocupação de leitos e demais fatores que contribuem para tomada de decisões referentes à pandemia, seja para restrição ou flexibilização.
Também foram realizadas pesquisas com pais e responsáveis dos alunos do ensino municipal e professores da rede. Pesquisa pública com pais e responsáveis concluiu que dos 4.067 que responderam à pesquisa, 82,4% (3.351) não mandariam seus filhos à escola. Questionados sobre segurança em levar os filhos à escola neste momento, a mesma porcentagem de pais respondeu que não a tem. Já uma pesquisa com educadores da rede municipal conclui que mais de 90% deles não estão seguros para voltar à sala de aula.
“Nenhuma ação de nosso governo, especialmente durante a pandemia, foi tomada com base em ‘achômetro’ ou ‘chutômetro’. Buscamos orientação técnica de profissionais especializados, pensando na saúde da população. Os pais entendem que, no momento, não é viável, nem recomendável, que seus filhos voltem à escola, por isso, entendemos que o melhor a fazer é esperar”, analisou Galvão.
Antes da decisão definitiva, secretários de Educação dos 25 municípios que compõem o Codevar (Consórcio de Desenvolvimento do Vale do Rio Grande) também foram ouvidos, quando deram sugestões sobre o possível retorno das atividades educacionais presenciais.
“Percebemos que o posicionamento dos pais e educadores das demais cidades, é o mesmo de Bebedouro. Estão todos inseguros e firmes de que este ainda não é o momento de retomada”, disse o prefeito. Após reuniões com secretários, foi a vez dos prefeitos reunirem-se para tomar a decisão, que definiu suspensão das aulas até o fim deste ano, nos 25 municípios.
“Em conjunto, o Codevar definiu que as aulas presenciais estão suspensas até o fim do corrente ano. A decisão estende-se às instituições municipais, estaduais e particulares de ensino infantil, fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante”, afirmou Galvão, acrescentando que, em 30 dias, nova avaliação da situação epidemiológica dos municípios deve ser realizada, para determinar manutenção ou derrubada deste decreto.
Para o secretário de Educação de Bebedouro, a possibilidade de retorno da rede municipal ainda este ano é pequena, já que a rede atende apenas alunos do ensino infantil e fundamental 1, de 3 meses a 6 anos. “São 7 mil alunos matriculados em escolas municipais, que estarão em risco, caso as aulas sejam retomadas presencialmente. Deste total, 2,1 mil têm entre 4 meses e 3 anos, ou seja, são muito pequenos para entender a complexidade do vírus e os cuidados a serem tomados para evitá-lo, mesmo sob supervisão de professores e auxiliares docentes”, analisa Rodrigues.
Segundo o secretário, se houver melhora no quadro epidemiológico da cidade, para retomada presencial, deve delimitar-se aos alunos maiores, do ensino médio e segunda etapa do fundamental (6º ao 9º ano).
O prefeito garantiu, ainda durante a ‘live’, que nesta semana serão realizados estudos de outros setores que sofrem com a pandemia, como da alimentação, eventos e esportes, através da Secretaria de Desenvolvimento, para criação de novas medidas de flexibilização.

Iquegami
Na quinta-feira (24), será inaugurada a nova unidade do Supermercado Iquegami, no Centro Comercial ‘Julien Mutton’, o mercado novo. A nova loja tem investimento de R$6 milhões, gerando 200 empregos, através da rede de supermercados, que já possui outras duas unidades em Bebedouro.
O secretário de Desenvolvimento, Rogério Valverde, comemora o investimento: “A inauguração de um supermercado, como Iquegami, em uma época em que o país enfrenta esta grave crise financeira, causada pela pandemia, demonstra que a cidade de Bebedouro não se deixou vencer pelo desânimo e buscou, a todo custo, parcerias para bons negócios”.
Valverde destaca que, ao mesmo tempo em que a Prefeitura adotava medidas restritivas e necessárias para o combate ao novo coronavírus, também buscava medidas econômicas, para permitir a retomada eficiente da economia.

 

Publicado na edição nº 10520, de 23 a 25 de setembro de 2020.