89 anos da Gazeta de Bebedouro

0
71

Quase nove décadas empenhada em relatar fielmente a história da cidade, seus sonhos, suas necessidades, suas conquistas, seus personagens.

Neste dia 6 de junho, a Gazeta de Bebedouro completa 89 anos de existência, prestando serviço e informação para o município e região. São pouquíssimas as publicações que conseguiram manter-se por tempo tão longo. Foram inúmeras crises financeiras, mudanças de governos e de moedas, duas ditaduras, inúmeros entrevistados, entre políticos, prefeitos, vereadores, governadores e até presidentes, e também empresários, artistas, bebedourenses anônimos que tornaram-se conhecidos pelas páginas da Gazeta.
Não é slogan dizer que a História de Bebedouro passa pelas páginas da Gazeta. Por incontáveis vezes, a Gazeta tem sido fonte de pesquisa para estudantes, pesquisadores e leitores. Nenhum outro jornal na região é tão citado nas bibliografias, e assim, aceito como documento oficial, pelas bancas examinadoras das faculdades.
Nestas páginas foram noticiadas a morte de Getúlio Vargas, a inauguração de Brasília, o Tri do Brasil na Copa do México, a Reabertura Política, posses de prefeitos, entregas de conjuntos habitacionais, edições da Festa da Laranja, abertura, fechamento e até reativação de fábricas.
Tudo isto, a longevidade e a credibilidade, são resultados da linha editorial que mantém inegociável o compromisso com a verdade dos fatos e independência política, defendido em todos estes anos pelos jornalistas Lucas Evangelista, Juca Caldeira e desde 1988, Sarah Cardoso.
Todos pregaram o profissionalismo, fazendo questão de valorizar o diploma acadêmico para contratação de repórteres, o que faz garantir o padrão na apuração das informações e na produção das reportagens.
Nunca a Gazeta prestou-se ao papel servil de órgão de comunicação de qualquer político. Prefeitos, vereadores e até deputados mantêm amizade com a direção, mas sempre cientes de que, acaso cometam ilegalidades, o fato será noticiado sem qualquer hesitação, porque acima de tudo existe o dever de cumprir o contrato feito com cada um dos assinantes em que reza a confiabilidade.
Em quase nove décadas de existência, a Gazeta presenciou o fortalecimento do rádio, o surgimento da televisão, a empolgação da internet, todos meios de comunicação anunciados como rivais do jornal impresso, porém, o tempo e a razão demonstraram que sempre haverá demanda para a mídia impressa, onde a informação é divulgada com maior profundidade e análise, desde que a vocação primeira seja exercida com ética.
No expediente consta o nome da proprietária da Gazeta, mas a legislação infelizmente não deixa mencionar o maior acionista da Gazeta, o leitor, responsável por várias gerações, pela manutenção desta publicação, atingindo a média de 7 leitores por cada exemplar, muito superior à média nacional divulgada pela ANJ (Associação Nacional dos Jornais) de 3 leitores por cada exemplar impresso.
É comum o aniversariante ser saudado com palmas, mas conscientes de nosso papel na sociedade, a equipe de funcionários e a direção, humildemente, vêm a público dizer ‘Obrigado, Bebedouro’ por escolher a Gazeta como o principal jornal da cidade com a justificativa única da confiança. Obrigado Bebedouro por colocar a Gazeta entre as 5 marcas mais lembradas espontaneamente entre os bebedourenses. Obrigado Bebedouro por abrigas os 89 anos da Gazeta, em 32.485 dias e 9.555 edições, ou seja, uma nova Gazeta a cada 3,4 dias.

Publicado na edição nº 9555 dos dias 6 e 7 de junho de 2013.