A importância da testosterona

Luiz Assunção

0
10

A testosterona é um hormônio esteróide produzido por homens e mulheres, sendo de maior predominância no sexo masculino. À medida que vamos ficando mais velhos, a partir dos 18 anos, nossa produção de hormônios esteróides diminui, e por isso vamos envelhecendo. Queda de cabelos, falta de disposição, cansaço, fadiga constante, irritabilidade etc. são alguns sintomas da falta de testosterona.

A testosterona tem importantes funções, vitais em nosso corpo. Nas mulheres, por exemplo, é a partir da testosterona que são fabricados os estrógenos responsáveis pelas características femininas. Quando uma mulher toma anticoncepcional, isso causa um desequilíbrio em toda a produção hormonal fisiológica, e sem testosterona também não há produção de estradiol, e consequentemente, a deficiência dos hormônios, naturais, também comprometerá o funcionamento da tireoide, já que essa importante glândula depende da ação da testosterona, estradiol e progesterona para cumprir suas funções.

Além de melhorar a atividade sexual, a testosterona também melhora a qualidade do nosso sono. E também uma boa noite de sono favorece maiores níveis de testosterona. Baixos níveis de testosterona foram associados a maiores índices de apneia do sono.

A deficiência de testosterona em nosso corpo está também associada à formação de pedras na vesícula, pois na falta de testosterona e estradiol, a tireoide não irá produzir o hormônio calcitonina, que é o responsável pela deposição de cálcio nos ossos. Na deficiência da calcitonina ocorre um processo de desenvolvimento da osteoporose. Mulheres, principalmente na menopausa, por deficiência de testosterona desenvolvem osteoporose. O estradiol também influencia na remoção do excesso de cálcio do organismo pela urina, e se está faltando calcitonina e testosterona, o cálcio em excesso não é eliminado do organismo e ficará circulando pelo corpo, causando calcificações em locais indesejados, como os cálculos na vesícula, pedras nos rins, calcificações na tireoide, nódulos nas mamas, placas de ateroma nas artérias, tártaro nos dentes.

Para não tratar sintomas precisamos corrigir o metabolismo.

O cálcio não deveria ficar circulando no corpo, e sim permanecer nos ossos e nos dentes.

A testosterona tem também uma importante função anti-inflamatória e analgésica, alívio das dores articulares, induz à formação óssea, ajuda combater apneia do sono, melhora a memória e a massa muscular e possui efeito antidepressivo.

Outro grande benefício da testosterona em nosso corpo é na preservação e reparação dos nossos telômeros, que vão se encurtando à medida que envelhecemos . Mas um bom nível de testosterona desacelera nosso envelhecimento.

A terapia de modulação hormonal deve ser feita com hormônios bioidênticos, nunca com hormônios sintéticos. O hormônio bioidêntico tem apresentação de fórmula farmacêutica em creme para absorção cutânea.

Homens e mulheres experimentam os mais diversos efeitos, antes mesmo de alcançar a fase conhecida como menopausa e andropausa. Depois de um tempo, tudo isso pode piorar e aí vemos osteoporose, depressão, infarto… Até porque o declínio desses hormônios é natural pelo avanço da idade, mas também é influenciado pelo estilo de vida de cada um. Envelhecer e ter declínio hormonal é normal, mas conviver com os prejuízos destas deficiências não é.

As doenças crônicas têm como base as deficiências nutricionais e disfunções hormonais.

Modulação hormonal “bioidêntica“ é vida.

Saúde, saúde, saúde!!!

(Colaboração de Luiz Assunção,  CRF 23.110 SP,  farmacêutico e bioquímico).

Publicado na edição 10.824, quarta, quinta e sexta-feira, 28 e 29 de fevereiro e 1º de março de 2024