Após uma semana, Bebedouro registra novo óbito por Covid-19

Cidade soma 495 pacientes com a doença e segue entre os municípios com maiores índices de isolamento social.

0
84

O boletim epidemiológico de sexta-feira (7), aponta 35 novos casos de Covid-19 em Bebedouro. Os pacientes com diagnóstico positivo eram 460 na terça (4), passaram para 479 na quinta (6) e, na sexta (7), subiram para 495.
O levantamento da Vigilância Epidemiológica informa que, do total de infectados diagnosticados em hospitais locais, 420 são de Bebedouro e 75 são pacientes da região. Dentre estes, 370 já estão recuperados, sendo 306 bebedourenses e 64 moradores da região. Há ainda 102 pacientes que não estão curados do vírus, em isolamento: 91 de Bebedouro e 11 da região.
Os óbitos subiram para 23, de acordo com o boletim mais recente. Desde 31 de julho, a cidade não registrava novos óbitos, porém, uma semana depois, a 23ª morte foi confirmada. Trata-se de mulher de 37 anos, com histórico de anemia falciforme, que faleceu na Unimed.
Há oito bebedourenses internados em UTI, seis em Bebedouro e dois em hospitais da região. Há também oito pacientes em enfermarias, dentre eles, dois na Unimed e seis no Hospital Municipal.

Isolamento social
De acordo com o Simi-SP, do Governo de SP, o índice de isolamento de Bebedouro, na terça (4), manteve-se em 51% e na quarta (5), caiu para 47%, em 3º lugar na tabela do estado. Bebedouro segue em 3º colocado, na quinta (6), com 46% das pessoas cumprindo o isolamento.

Contaminação e letalidade
Considerando os casos de Bebedouro e a população de 77,5 mil habitantes, há 6,38 pessoas contaminadas com Covid-19 por cada mil habitantes. Já a taxa de letalidade, que indica a porcentagem de pacientes infectados que faleceram em decorrência da doença, é de 4,64%, considerando 23 óbitos e 495 infectados.

Descumprindo o isolamento
O GEI (Grupo Estratégico de Isolamento) segue realizando ações de prevenção da Covid-19 e monitoramento de pacientes infectados com a doença. Nos dias 29 e 30 de julho, o grupo realizou inspeções em supermercados e residências de pacientes com a doença, sendo visitados 20 pacientes com Covid-19, de diversos setores da cidade. Foi constatado que somente 11 estavam cumprindo o isolamento domiciliar e outros nove estavam fora de casa, mesmo tendo assinado termo de consentimento e responsabilidade para que se mantivessem isolados.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Rogério Valverde, todo cidadão que assina o termo de consentimento e responsabilidade, assume o compromisso de se manter isolado de acordo com a recomendação emitida pela Vigilância Epidemiológica. Caso seja constatado o descumprimento do isolamento, o agente do GEI deve encaminhar imediatamente a informação à Vigilância Sanitária e Polícia Civil. Os pacientes que descumprem a medida são multados em R$ 1.048 e podem responder criminalmente pela ação.

Alerta de falsos testes
A Prefeitura de Bebedouro, através da Secretaria Municipal de Saúde, informa que a coordenadoria de Vigilância Epidemiológica não está realizando testes rápidos de Covid-19 nas residências. O alerta foi divulgado após denúncias de que pessoas se passando por funcionários municipais estariam entrando nas residências alegando realizar testes rápidos da doença, mas cometeram roubos e furtos.
As denúncias de falsos agentes devem ser feitas à Guarda Civil Municipal, através do telefone 153.

Requerimento legislativo
A Câmara Municipal realizou sessão extraordinária na noite de segunda-feira (3), para protocolar requerimento relacionado à flexibilização de alguns setores da economia e abertura de templos religiosos. O presidente Carlos Serotine (SD), o Tota, convocou a sessão extra para votar o requerimento 21/2020, assinado por todos os vereadores, solicitando ao prefeito que seja autorizada a abertura de estabelecimentos como academias, bares, restaurantes e igrejas, seguindo medidas sanitárias.
No documento, os vereadores analisam que Bebedouro já possui condições de mudar da fase laranja para amarela e que várias regiões do estado já retomaram a economia com a abertura dos serviços, desconsiderando que a possibilidade de abertura dos estabelecimentos é prevista pelo Plano São Paulo, de acordo com a situação epidemiológica de cada região e não por vontade do prefeito ou de vereadores.
Em Barretos, por exemplo, o prefeito Guilherme Ávila (DEM) entrou com pedido de liminar contra o governador João Dória, do mesmo partido, visando a reclassificação da região de Barretos para a fase amarela do Plano São Paulo. A ação foi analisada pelo Tribunal de Justiça, que negou o pedido do prefeito de Barretos, alegando que a cidade deve seguir o Plano São Paulo.

 

Publicado na edição nº 10508, de 8 a 11 de agosto de 2020.