Bebedouro permanece na fase laranja do Plano São Paulo

Araraquara, Barretos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Taubaté e a sub-região Norte da Grande São Paulo permanecem estáveis. Ribeirão Preto continua na fase vermelha de restrição.

0
158
Recapitulando - A secretária de Desenvolvimento Econômico Patrícia Ellen, apresentou as atualizações do Plano São Paulo, mostrando a evolução ou regressão das regiões. Divulgação/Governo de SP)

Bebedouro permanece estável no Plano São Paulo. Agora são dez regiões e uma sub-região metropolitana, que estão na fase laranja. As regiões de Araraquara, Barretos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Taubaté e a sub-região Norte (Franco da Rocha) da Grande São Paulo continuam, até o dia 24 deste mês, na fase laranja. Já Bauru, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente e Sorocaba avançaram da fase vermelha para laranja.
Para a etapa amarela, avançaram Baixada Santista, Registro e as sub-regiões Leste (Alto Tietê) e Oeste (Osasco) da Grande São Paulo. Todas as cidades destas áreas se juntam à capital e às sub-regiões Sudeste (ABC) e Sudoeste (Taboão da Serra) da região metropolitana. Nenhuma região regrediu de fase.

Troca de experiências – Antes do início da atualização de fases do Plano São Paulo, João Doria conversa com Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência de Covid-19. (Divulgação/Governo de SP)

A etapa laranja permite funcionamento com 20% da capacidade de atendimento presencial em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por outros três.
A nova classificação vale a partir de segunda-feira (13). As regiões de Araçatuba, Campinas, Franca e Ribeirão Preto permanecem na fase vermelha de restrição total de atividades não essenciais.
“Os indicadores apontam sinal de alerta a algumas cidades em que a ocupação de leitos para atendimento a pacientes graves de Covid-19 está próxima de seu limite. São elas: as regiões de Campinas, com 80%, Franca, com 85% e Ribeirão Preto, com 88%. Entretanto, as regiões de Barretos (78%), Piracicaba (78%) e Sorocaba (74%) precisam de atenção especial”, alerta o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.
A média estadual é de 65% de ocupação em leitos de terapia intensiva, com aumento de um ponto percentual em relação à semana passada. A média de leitos de UTI para casos graves de coronavírus permanece em 20,2 vagas para cada cem mil habitantes.
As três próximas atualizações programadas do Plano São Paulo estão previstas para os dias 24 de julho e 7 e 21 de agosto. Os índices epidemiológicos e capacidade hospitalar são verificados semanalmente e, em caso de piora acentuada, pode haver regressão de fase em caráter extraordinário. Tal medida já foi adotada em 19 de junho, nas regiões de Registro e Marília, e em 3 de julho, na área de Campinas.
Nova quarentena – Na coletiva de imprensa, de sexta-feira (10), o governador João Doria anunciou a prorrogação da quarentena no Estado até o dia 30 deste mês.
Segundo Bruno Covas, a Prefeitura de São Paulo lançou, na quinta-feira (9), plano de ação nos 14 distritos com maior índice de incidência de Covid-19. “Faremos busca ativa na residência de cada pessoa que testar positiva para o novo coronavírus e testaremos, pelo menos, cinco pessoas da família para conter a proliferação da doença”.
O programa de monitoramento implantado pelo prefeito Bruno Covas é o mesmo utilizado pelo GEI (Grupo Estratégico de Isolamento) da Prefeitura de Bebedouro.
Reabertura de parques – A visitação dos parques estaduais na capital, que encontra-se na fase amarela do Plano São Paulo, será retomada gradualmente. Nove dos 16 parques estaduais estarão abertos com restrição de portões e de horário de funcionamento e regras específicas. A Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente vai monitorar as atividades e comportamento da população nos espaços durante as primeiras semanas para deliberar sobre a abertura integral.
Respiradores – O governo estadual enviará respiradores para Santa Casa de Franca, Hospital São Lucas e Hospital Santa Lídia, os dois últimos de Ribeirão Preto, garantindo atendimento aos pacientes graves atingidos pelo novo coronavírus.
As regiões que seguem na fase vermelha estão recebendo investimento do governo para aumentar sua capacidade hospitalar. A região de Campinas ganhou essa semana, reforço em sua rede de atendimento com a destinação de leitos do hospital de Campanha do Ibirapuera para atender pacientes desta região, preferencialmente, e de outras regiões do estado de São Paulo, se necessário.
No estado de São Paulo, o número de leitos de UTI passou de 3,6 mil para 8,1 mil, com mais de 2,4 mil novos respiradores destinados a serviços do SUS de São Paulo.
Rastreamento – Teve início em Araraquara, Bauru e São Bernardo do Campo, Projeto-piloto de rastreamento de infectados e casos suspeitos de coronavírus. A ação abrange 1,4 milhão de habitantes.
A partir de agosto, a iniciativa será expandida para cem municípios e, em seguida, para todas as cidades que aderirem ao protocolo estabelecido pelo governo. Nos próximos dias, o governo dará início ao protocolo de adesão e os municípios poderão se integrar para avançarem com a política de isolamento.

 

Publicado na edição nº 10500, de 11 a 14 de julho de 2020.