FPF e Governo de SP definem data para retorno do Paulistão

Dia 22 de julho será a volta aos jogos e a final do campeonato estadual está prevista para 8 de agosto, antes da retomada do Brasileirão.

0
128

Dia 22 de julho é a data do retorno do futebol paulista, conforme anúncio do governador João Dória, em coletiva de imprensa na quarta-feira (8). Restando seis partidas para conclusão, o Campeonato Paulista será concluído no dia anterior ao retorno do Brasileirão.
A FPF (Federação Paulista de Futebol) havia encaminhado pedido para retorno do campeonato em 22 de julho e a resposta foi dada por Dória em coletiva, na quarta (8), confirmando a data. A partida final está prevista para 8 de agosto, dia anterior ao retorno do Brasileirão, em 9 de agosto. A data levantou questionamentos sobre a proximidade com o início do campeonato brasileiro e o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, disse que o assunto será discutido em comum acordo com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol).
Os jogos não poderão receber torcedores e só serão realizados em cidades que estão na fase amarela do Plano São Paulo. Atualmente, somente a capital e outras 15 cidades da Região Metropolitana estão na etapa intermediária do Plano. Ainda haverá duas reclassificações antes da retomada do Paulistão, com possibilidade de autorização de partidas em demais municípios do interior e litoral.
Na coletiva, foi anunciado ainda, que na próxima semana haverá reunião entre a FPF e times da Série A2, prevendo possível retorno dos treinamentos.
Protocolo de Operações – Para que os jogos fossem permitidos, a FPF, junto ao Centro de Contingência do coronavírus criou o ‘Protocolo de Operação de Jogo’, que prevê medidas para realização das partidas: o confinamento das 16 equipes participantes do torneio; limitação de 200 pessoas, incluindo jogadores, comissão técnica, trabalhadores e imprensa; limpeza de todas as áreas; e divisão dos estádios em ‘zonas’, de acordo com a permissão de acesso.
Os estádios que receberão os jogos serão divididos em três zonas: azul, vermelha e amarela, sendo que a azul é a mais próxima do campo de jogo, e a amarela a mais distante. A zona azul é a que compreende todos os locais pelos quais passarão jogadores, comissões técnicas e árbitros, como corredores, vestiários, túneis, bancos de reservas e o gramado; a zona vermelha é todo o restante do interior do estádio, que poderá ou não estar ocupado, como arquibancadas, área de imprensa, cabines, salas administrativas e operacionais; já a zona amarela é fora do estádio, incluindo tudo o que envolve a operação do jogo, desde pontos de acesso e credenciamento ao estacionamento.
Antes do reinício do Paulistão, os clubes terão de apresentar listas com nomes de todos os funcionários. Cartazes informativos e dispensadores de álcool em gel serão colocados em diversos pontos dos estádios. O uso de máscara é obrigatório em todas as zonas.
A operação de retorno do torneio será dividida em quatro fases: dias que antecedem o jogo, quando serão conferidas as listas de funcionários, revisão do estádio e medidas de higiene, além da desinfecção das áreas; pré-jogo com três portões liberados, sendo um para delegações, outro para funcionários da transmissão e operações, e um terceiro para os demais profissionais; o momento da partida, fase que começa na chegada das equipes e árbitros ao estádio, com distanciamento nos bancos de reservas e bolas constantemente desinfectadas, sendo permitidos apenas jogadores, técnicos e arbitragem sem máscara; e o pós-jogo, em que as delegações deverão aguardar o protocolo de saída em ambiente ao ar livre.
Em caso de jogadores ou funcionários diagnosticados com Covid-19, o protocolo é isolá-los e testar todos que tiveram contato com eles.

 

Publicado na edição nº 10500, de 11 a 14 de julho de 2020.