Bebedouro registra mais 3 mortes por Covid-19

Anvisa libera Coronavac para crianças e expectativa da Vigilância Epidemiológica é começar aplicação na segunda-feira (24).

0
157
Esperança – Vitor Hugo de Oliveira foi a segunda criança a tomar a vacina em Bebedouro, na terça (18). “Estou protegido”. (Gazeta)

Bebedouro voltou a registrar mortes por Covid-19 nesta semana. Boletim Epidemiológico de quarta-feira (19) informou dois óbitos. Mulher, 34, faleceu sem comorbidades, na rede de saúde privada, com apenas uma dose da vacina recebida em julho/2021. No Hospital Estadual, foi registrado óbito de homem, 63, com diabetes mellitus e hipertensão arterial com as três doses da vacina. No boletim de quinta (20), foi informado mais um óbito, em residência, de homem, 63, também com diabetes e hipertensão. Agora, as mortes por Covid na cidade somam 343.

Boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica na sexta-feira (21) informa mais 260 casos positivos desde terça-feira (18), última atualização da Gazeta. São 449 pessoas isoladas, em monitoramento e outras 78 aguardando resultado de exames. Desde o início da pandemia, Bebedouro soma 13.441 positivados.

No Hospital Estadual são três pacientes internados em leitos de enfermaria, representando 15% dos 20 leitos disponíveis e nove pacientes em leitos de UTI (45% de 20 disponíveis). Na rede privada, cinco pacientes estão em enfermaria (33,33% dos 15 leitos), e três pacientes na UTI (30% dos 10 leitos disponíveis).

Coronavac é liberada para crianças

A Anvisa aprovou o uso pediátrico da Coronavac para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos não imunossuprimidos, baseada em estudos apresentados pelo Instituto Butantan. A dose será a mesma usada em adultos, com intervalo de 28 dias para a segunda dose. Em transmissão nas redes sociais, o governador João Dória confirmou a aprovação e deu prazo de três semanas para aplicação da dose inicial em todas as 4,3 milhões de crianças do estado.

Em Bebedouro, as doses devem chegar no fim de semana: “O estado iniciou encaminhamento para as regionais, estamos no aguardo para iniciar as aplicações na segunda-feira (24), se tudo der certo”, informa Thaís Teixeira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica.

Teixeira se diz preocupada com a vacinação infantil: “Desde que começamos as aplicações, na terça (18), somente 17 crianças receberam a vacina. Isto é preocupante, o negacionismo não pode existir”.

O local de vacinação para crianças continua sendo o Paraíso Cavalcanti: “Com as doses da Coronavac em mãos, vamos aplicar em todas as crianças, mesmo sem comorbidades, de 9 a 11 anos. Depois, seguindo o calendário do estado, a partir de 31 de janeiro (uma segunda), aplicaremos em crianças de 5 a 8 anos”.

A baixa adesão, segundo Teixeira, está relacionada a informações falsas: “As pessoas saem publicando informações sem checar a veracidade e isto causa medo, faz o negacionismo aumentar”.

Em coletiva realizada na quarta (19), Dória falou da alta nas internações de crianças e adolescentes em UTIs: “As estatísticas da Secretaria de Estado da Saúde mostram aumento de 61,3% no número de pacientes com menos de 18 anos internados, evidenciando a necessidade de acelerarmos a vacinação infantil”.

Em Bebedouro, Victor Hugo de Oliveira foi a segunda criança a receber a vacina: “Na pandemia, o jeito de estudar mudou muito, ficou mais difícil com as aulas online. Tomar a vacina é um alívio, tudo está voltando ao normal, vou voltar para a escola mais tranquilo”.

Alexandre de Oliveira, pai da criança, disse que sua maior preocupação era perder o filho: “Ele tem diabetes tipo 1 e o medo é grande. Sou grato e parabenizo o trabalho de todos da saúde, agora meu filho está protegido”.

Caso em Lençóis Paulista não tem relação com a vacina

Na quarta (19), foi notificado ao Sistema de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-vacinação, caso de criança de 10 anos com parada cardiorrespiratória, 12 horas após vacinação com dose da Pfizer, em Lençóis Paulista. Em nota, o CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) informou que foi concluído, após exames, características na paciente de síndrome de Wolff-Parkinson-White, condição congênita que leva o coração a ter crises de taquicardia: “A síndrome, até então não diagnosticada e desconhecida pela família, levou a crise de taquicardia, que resultou em instabilidade hemodinâmica. Não existe relação causal entre a vacinação e o quadro clínico apresentado, portanto, o evento adverso pós-vacinação está descartado”.

Sobre a vacinação nos adultos, a coordenadora da Vigilância de Bebedouro afirmou aplicar cerca de 500 doses/dia: “Mesmo assim o número de faltosos está alto, precisamos acelerar. Temos 3 mil bebedourenses faltosos da 2ª dose e 14 mil ainda não tomaram a dose de reforço”.

De acordo com o vacinômetro, atualizado pelo governo do estado, às 12h de sexta-feira (21), Bebedouro aplicou 64.392 primeiras doses (83,03% da população); 62.898 segundas doses ou doses únicas, representando 81,10% da população. 25.307 bebedourenses tomaram a dose de reforço (32,63% da população).

Publicado na edição 10.638, de sábado a terça, de 22 a 25 de janeiro de 2022.