Cai 46% a taxa de letalidade no Estado de São Paulo

“Ao final do mês de setembro, com 86% da população do Estado vacinada, teremos o controle da pandemia”, afirma João Gabbardo.

0
72
Dados positivos – Secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, e coordenador executivo, João Gabbardo, apresentam levantamento com 46% de recuo na letalidade do Estado. (Divulgação/Governo do Estado de SP)

Dados da Secretaria Estadual de Saúde apontam que há redução de 46% no número de mortes causadas pela Covid-19 no Estado de São Paulo, entre março e julho.

Segundo a pasta, junho registrou a taxa de letalidade mais baixa deste ano entre os hospitalizados: 19%, com 7.004 pacientes que faleceram em decorrência da doença. “Este número é três vezes menor que o registrado em março, quando a taxa foi a mais alta do semestre, de 35%, equivalente a 23.427 mortes entre os internados”, explicou o secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

Para o governador João Doria, a “queda acentuada da letalidade do coronavírus em São Paulo é resultado dos altos índices de cobertura vacinal. A melhor forma de preservar vidas é com a vacina, e foi o que aconteceu, principalmente entre os idosos acima dos 70 anos, que já tomaram a primeira e a segunda doses da vacina”.

Na coletiva de imprensa, o coordenador executivo do Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo, João Gabbardo, foi indagado sobre quando será possível o retorno à rotina.

“Ao final do mês de setembro, com 86% da população do Estado vacinada, teremos o controle da pandemia. A partir daí, poderemos liberar mais atividades e que hoje não há esta possibilidade”, ressaltou, completando: “Não estamos perto da volta à normalidade. Ela vai ser adquirida aos poucos e está ligada ao processo de vacinação. Em 20 de agosto, quando estivermos com 100% da população adulta já vacinada, significa que teremos 80% da população total imunizada, isso porque 20% têm menos de 18 anos”.

Educação – Também na quarta-feira (14), a Secretaria Estadual de Saúde anunciou a contratação de 20 mil familiares de alunos carentes para auxiliar nas escolas estaduais. O programa “Bolsa do Povo Educação” pagará auxílio de R$ 500/mensais por 4 horas diárias de trabalho, até dezembro. As inscrições começam nesta segunda-feira (19) e seguem até o fim deste mês.

Os contratados serão obrigatoriamente país ou responsáveis dos alunos que estiverem em situação de vulnerabilidade social, cadastrados no CadÚnico ou desempregados há pelo menos três meses. “Um dos grandes objetivos do programa vai ser colocar todo o Estado para apoiar a Educação, especialmente neste retorno das aulas, para acompanhamento de protocolos sanitários e apoio geral às escolas”, enfatizou o secretário Rossieli Soares.

O cadastro deve ser feito pelo site: bolsadopovo.sp.gov.br e para participar é preciso ter o número de registro do aluno, fornecido pela escola onde o estudante está matriculado.

Publicado na edição 10.593, de sábado a terça-feira, 17 a 20 de julho de 2021.