Carta Aberta à Câmara Municipal de Bebedouro

Sérgio Roberto Junqueira Franco

0
47

Em relação à Audiência da Saúde, do dia 30/09/19, eu declaro:
Que o fulcro da questão é a boa situação da Saúde em Bebedouro, pois, politicamente, ela está incomodando muito, alguns vereadores.
Que o corporativismo metastático da Câmara, neste caso, uniu adversários políticos e só teve o mérito de separar o joio do trigo, na Câmara.
Que dois eleitos da situação, faltaram à Audiência e deixaram de defender e de colaborar com a melhoria da Política de Saúde de Bebedouro.
Que, por discordarem da atitude injusta, ditatorial e corporativista do vereador Tota, três edis, honrando seus mandatos, se recusaram a assiná-la.
Que, a única representante da Casa, ignorou a causa feminina de combate ao ignominioso preconceito de gênero, não comparecendo à Audiência e deixando de presenciar, com os próprios olhos, à tentativa de massacre pessoal da Secretária da Saúde.
Que o vereador Tota foi o grande responsável pelo que ocorreu na Audiência, pela sua omissão, ao faltar à sessão e/ou, se estava impedido, deixando de nomear um mediador para bem conduzir os trabalhos e garantir segurança a todos os presentes.
Que, antes de tentar execrar-me publicamente, até por uma questão legal, o vereador Tota tinha a obrigação de ouvir-me e não o fez.
Que, o vereador Tota, por má fé ou conveniência, ou ambos, não menciona, na moção, a causa do desentendimento na Audiência, que se deveu ao desrespeito e tentativa de intimidação da Secretária da Saúde, de forma machista, por um vereador.
Que a verdade sobre minhas participações nas Audiências da Câmara é porque tenho incomodado politicamente alguns vereadores, questionando algumas de suas visões distorcidas, as conhecidas Fake News políticas, quando suas finalidades são de angariar votos. E, por se achar poderoso, ele tenta me amordaçar, para silenciar outros cidadãos que discordam de seus posicionamentos.
Em função do exposto, eu questiono se não teria sido mais correto o grupo me processar, sob a égide da lei, ao invés de agirem sob a égide de um “partial and simpleton fake Judge”.

(Sérgio Roberto Junqueira Franco. Bebedouro, 19 de outubro de 2019).

Publicado na edição nº 10437, de 19 a 22 de outubro de 2019.