Bebedouro faz 139 anos e festeja com programação no mês de maio

Escolas municipais devem reunir mais de 650 alunos no Sambódromo para Desfile Cívico. Segurança será reforçada.

0
445
Comunidade envolvida - Pais e alunos se unem para construir ‘Colcha da Paz’, mostrando envolvimento da escola contra a violência.

Gazeta conversa com diretora da escola Lellis do Amaral Campos que explica iniciativa para unir a escola e a comunidade. Segurança será reforçada no dia do evento, garante secretário.

Bebedouro está pronta para comemorar seus 139 anos com muita festa e eventos para toda a população. Tudo tem início na segunda-feira (2 de maio), véspera do aniversário, quando os bebedourenses poderão assistir ao tradicional Desfile das escolas e parte cívica com Tiro de Guerra, além da Banda marcial, a partir das 19h, no Sambódromo Municipal.

À Gazeta, a Semeb (Secretaria Municipal de Educação de Bebedouro), confirma participação de cerca de 1.180 pessoas no Desfile, sendo 655 alunos da rede municipal de ensino e mais de 530 pessoas de entidades e outras secretarias.

Sem violência – Escola Lellis do Amaral Campos prepara Colcha da Paz para apresentação no Desfile Cívico.

 

A Semeb informa ainda que os alunos estão empolgados com os preparativos e que é a melhor parte da organização, fazendo com que as expectativas sejam as melhores possíveis, para apresentar ao público, os trabalhos desenvolvidos. Além de parabenizar a cidade, proporcionar a todos da rede, alunos, professores e funcionários, uma experiência fascinante.

A Gazeta conversou com a diretora da escola Lellis do Amaral Campos, Sônia Paro, que falou sobre os preparativos para o Desfile: “Neste ano, quisemos unir escola e comunidade para proporcionar algo diferente, motivador e que vai levar, além de diversão, muita reflexão às pessoas”.

Ensaios – Alunos do Lellis do Amaral Campos ensaiam para apresentação no Desfile de 139 anos de Bebedouro.

 

A diretora anuncia que a escola entrará no Sambódromo junto com a Assuma (Associação das Super Mães de Autistas) e Amados (Associação Mães de Amor Down) com o tema ‘Inclusão’: “A inclusão vem do coração, somos todos iguais na diferença, é isto que queremos transmitir com nosso desfile, neste ano”, adianta Paro, confirmando participação de 170 pessoas, envolvendo a escola e a comunidade.

Considerada como destaque do Lellis do Amaral Campos será a apresentação da Colcha da Paz: “Com todos os problemas que tivemos recentemente sobre os ataques nas escolas, fizemos esta colcha junto com a comunidade, para simbolizar a paz nas escolas. Então, este será nosso subtema do Desfile Cívico, ‘o amor gera a paz’. Além disso, vamos sair com a fanfarra e a equipe de dança da escola”.

Paro dá mais detalhes sobre a ideia da Colcha da Paz e diz que a iniciativa tem como objetivo levar reflexão: “Estávamos falando sobre os ataques nas escolas, nas fake news que saiam e no medo que estava acometendo a todos, principalmente os pais e, por isto, pensamos em como fazer algo no Desfile para envolver toda comunidade. Fizemos reflexão sobre a importância dos valores sociais para cultivar a cultura da paz e isto é essencial na área educacional. Quando refletimos sobre a construção de valores e atitudes, temos o poder de prevenir situações de conflitos, violência, tudo por meio do dialogo”, analisa a diretora.

Para a responsável pela escola, a paz dentro do ambiente educacional também vem de casa: “É no convívio com os irmãos, com a família, tudo isso precisa ser bem tranquilo e pacífico para que se reflita dentro da escola. Por isto, unimos todos, cortamos os pedacinhos de tecido e convidamos os pais para virem à escola e demos para as crianças os pedaços para eles desenharem o que entendiam sobre paz. Isto aconteceu depois de uma roda de conversa sobre o assunto”, conta.

A diretora da escola lembra que, principalmente no ensino fundamental, as crianças estavam trazendo muitas informações de fora da escola sobre os assuntos envolvendo violência: “Eles ouviam as mães falando que estavam com medo e nós tinhamos que fazer algo para ajudar. Pensamos como isto é importante, temos que conscientizar não só os pais que estão com medo, mas as crianças. Durante o processo de construção da Colcha da Paz, disponibilizamos os materiais, cada um fez seu desenho, fez frases, os bebês colocaram nome e cravaram as mãozinhas e até os pezinhos no tecido, para deixarem suas marcas. As famílias mandaram frases e desenhos e unimos tudo nesta colcha. No nosso desfile, vamos transmitir a todos aquilo que queremos para nossa comunidade, mas não só para nossa escola, mas a todas as escolas de Bebedouro, da região, do Brasil e do mundo. As crianças estão contentes, é uma coisa delas, feita por elas, junto com suas famílias”.

A escola também aproveitou a visita dos Guardas Municipais para unir ainda mais a sociedade: “Eles vieram na escola conversar e acabaram participando, fazendo quadrinhos para colocarmos na colcha, isto mostra como conseguirmos unir vários setores da comunidade e isto trouxe a sensação de ainda mais segurança para as famílias, mostramos a eles que a escola está empenhada, que todos podem ajudar a prosperar a paz e que juntos somos mais fortes. Com isto, estaremos todos unidos para desejar paz e muitas felicidades para Bebedouro, no dia do seu aniversário”, finaliza.

A Banda Municipal

Promessa – Depois da estreia de 7 de setembro, Banda Municipal promete surpreender com seu som, energia e músicas construtivas.

 

Ainda sobre o Desfile Cívico, o diretor de Cultura, Glauco Corrêa havia anunciado à Gazeta o cronograma das entradas que começa pela apresentação do Tiro de Guerra, GCM e Defesa Civil, na parte cívica e, depois, pela passagem das escolas municipais.

Junto com esta informação, Corrêa anunciou que, pela primeira vez no Desfile de aniversário, a população vai prestigiar a apresentação da Banda Municipal.

A Gazeta conversou com o professor da Banda, Celso Vieira que disse estar com altas expectativas para a apresentação: “Queremos propagar ainda mais o som e a identidade da nossa banda com letras e ritmos marcantes para levar ao público uma energia de apresentação mágica, deixando nossa marca”.

O professor diz que os ensaios acontecem na Estação Cultura, às quartas, no período da noite e aos sábados pela manhã e revela um pouco do repertório que poderá ser prestigiado na noite de aniversário: “A Banda Municipal sempre busca um repertório com letras construtivas e vamos apresentar Believer, Graveto de Marília Mendonça, Titanium de David Guetta, entre outras canções conhecidas do público”.

Vieira faz balanço positivo da Banda, criada no ano passado: “Fizemos nossa primeira apresentação no 7 de setembro e, agora, estamos com a energia lá em cima para o aniversário da cidade. Prometemos várias surpresas que o público vai ficar impressionado e desde já agradecemos de coração ao apoio do Departamento de Cultura que não mede esforços para sermos destaque”, finaliza.

Mais atrações

Logo após o desfile haverá show gratuito para toda a população da dupla sertaneja Guilherme e Santiago, em palco montado também no Sambódromo.

Na quarta-feira (3 de maio), dia do aniversário de Bebedouro, o tradicional bolo será servido com 139 metros, servido à população, na Feccib velha”.

Depois, às 12h, haverá missa em ação de graças, na Matriz de São João Batista e, à noite, na Concha Acústica, o Projeto Ágape, reunindo as igrejas em ato ecumênico pela cidade.

Segurança reforçada

À Gazeta, o secretário de Segurança Pública de Bebedouro, Rogério Valverde, confirma segurança reforçada no dia do evento, tanto no Desfile, quanto no show: “Teremos, além da equipe da GCM e Polícia Militar, seguranças particulares. Haverá revista e detector de metais. Os coolers estão liberados, mas também serão revistados”, finaliza Valverde.

 

Publicado na edição nº 10.752, sábado a sexta-feira, 29 de abril a 5 de maio de 2023