Como meta, Estado pretende ampliar testes para Covid-19

Parceria inédita entre o Instituto Butantan e a empresa farmacêutica chinesa Sinovac é anunciada para produção e testes em estágio avançado, de vacina contra o novo coronavírus.

0
97
Evolução – Levantamento da Secretaria Estadual de Saúde indica que casos e óbitos provocados pelo novo coronavírus seguem evoluindo no interior do Estado. (Divulgação/Governo de SP)

Em todo o Estado de São Paulo já foram realizados mais de 600 mil testes para identificação do novo coronavírus em pacientes com suspeita da doença. A meta para as próximas semanas é ampliar o número de exames e triplicar o volume de diagnósticos no Estado.
Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, são 602.384 exames realizados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e por laboratórios e hospitais privados. Até segunda-feira (15), foram testados 525.666 pacientes com sintomas leves de síndromes gripais e outras 76.718 pessoas internadas com suspeita de Covid-19. São Paulo registrava 181.460 casos confirmados da doença até segunda (15).
A testagem em massa é um dos mecanismos mais importantes para reduzir a velocidade de contágio do coronavírus. Assim que o paciente é diagnosticado como caso positivo, é isolado e também há monitoramento das pessoas com quem teve contato, permitindo a checagem de novos casos suspeitos com o surgimento de sintomas como tosse seca, febre e falta de ar.
“Continuamos investindo na ampliação da testagem, distribuindo 250 mil kits para que os municípios aumentem o volume de pacientes testados. Isso é importante porque fortalece medidas de vigilância, isolamento e monitoramento”, ressaltou o coordenador do Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, Paulo Menezes, acrescentando. “Acreditamos que, nas próximas duas semanas, o volume de testes PCR [exame com coleta de amostras no nariz e na boca] na nossa rede laboratorial vai aumentar significativamente. Nossa perspectiva é que triplique o número de testes por dia, dedicados ao SUS, nas próximas semanas”.
Para o coordenador Executivo do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo (ex-integrante do Ministério da Saúde na gestão Mandetta), é importante que a população saiba a diferenciação entre os resultados de exames do tipo PCR e os chamados testes rápidos, que são feitos geralmente com a coleta de uma pequena amostra de sangue.
O primeiro serve para confirmar ou não se a pessoa está com o coronavírus, enquanto o segundo, determina se o paciente já foi contaminado no passado. “O teste rápido tem utilidade completamente diferente, servindo para identificar se a pessoa no passado teve contato com o vírus e se está imunizada, se criou anticorpos. Quem faz o teste rápido e dá negativo, significa que ainda não teve contato com a doença e não tem anticorpos. Ele ainda pode adquirir o coronavírus e transmitir para outras pessoas”, explica Gabbardo, didaticamente.
IdeiaGov – Lançado pelo Governo Estadual, o programa de inovação identificará propostas com potencial para combater e minimizar os impactos do coronavírus na saúde da população. Empreendedores, empresas, pesquisadores e entidades do Brasil podem inscrever suas propostas nas modalidades Desafios do Governo e Ofertas Tecnológicas do Mercado.
“A iniciativa tem como objetivo, tornar o Governo de São Paulo referência internacional em inovação no setor público e também impulsionar o desenvolvimento econômico com compras públicas de inovação, principalmente dando oportunidade para startups pequenas e médias e empresas inovadoras em geral”, mencionou Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico.
O IdeiaGov está dividido em duas modalidades: Desafios do Governo, que se dedica a encontrar soluções inovadoras de empresas e organizações de pesquisas de qualquer porte para desafios concretos voltados ao enfrentamento do coronavírus no cenário atual. O primeiro chamamento é voltado para o desafio de como realizar testes de diagnóstico para a Covid-19 que sejam acessíveis para programas de saúde pública e possam ser replicados para alcançar o maior número possível de pessoas.
Já a modalidade de Ofertas Tecnológicas do Mercado é um canal de entrada para receber propostas de tecnologias relacionadas ao combate da Covid-19, sejam de produtos, serviços ou processos para a área da saúde pública.
Vacina – Parceria inédita entre o Instituto Butantan e a indústria farmacêutica chinesa Sinovac para produção e testes em estágio avançado de vacina contra o novo coronavírus foi anunciada pelo Governo Estadual, em coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes, na quinta-feira (11). O acordo prevê testagem em 9 mil voluntários no Brasil e fornecimento de doses até junho de 2021, caso a imunização se consuma eficaz e segura. Chamada de CoronaVac, a vacina já foi administrada com sucesso, em cerca de mil pessoas na China, nas fases clínicas um e dois, sendo que antes, já havia sido aprovada em testes laboratoriais e em macacos.

 

Publicado na edição nº 10493, de 17 a 19 de junho de 2020.