Consumidor

A página traz novidades nesta semana. Algumas fotos são lembranças, já que vivemos em uma pandemia.

0
35
A linda Ana Canhoto, de Bebedouro para o Brasil. A nossa The Voice Brasil.

Apesar dos preços dos alimentos seguirem em alta, a inflação sentida pela população de baixa renda desacelerou em outubro, segundo dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) – que mede a variação de preços de produtos e serviços para famílias com renda entre um e 2,5 salários mínimos – ficou em 0,71% no mês passado, contra 0,89% em setembro. Com este resultado, o indicador acumula alta de 3,86% no ano e 4,54% nos últimos 12 meses, bem acima da inflação oficial do país. Já o IPC-Br, que mede a variação de preços para famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos mensais, ficou em 0,65% em outubro, vindo de 0,82%. Com o resultado, acumula alta de 4,38% em 12 meses, permanecendo em um nível abaixo da inflação sentida pelos mais pobres.


Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

 

Publicado na edição nº 10532, de 11 a 13 de novembro de 2020.