Em 10 meses, Bebedouro soma 2.497 infectados pela Covid-19

Média móvel cai para 21,57 novos casos/dia. Óbitos seguem em 58 desde o último fim de semana.

0
299

Desde março de 2020 até terça-feira (19), Bebedouro soma 2.497 pessoas infectadas por Covid-19, segundo boletim diário da coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, sendo que 2.228 residem em Bebedouro e 269, na microrregião.
Do total de contaminados, 31 estão em isolamento domiciliar, monitorados pelo GEI (Grupo Estratégico de Isolamento). Outros 2.408 pacientes já estão recuperados da doença, sendo 2.141 de Bebedouro e 267 da região. 153 pessoas estão sob suspeita, aguardando resultados de exames: 151 de Bebedouro e dois da região.
O número de óbitos subiu para 58 na sexta-feira (15), com falecimento de homem, 66, com histórico de diabetes e transplantado de fígado. Do total, 39 vítimas morreram em hospitais locais e 19 em unidades de saúde de outras cidades.
O boletim aponta que há 26 bebedourenses em UTI, em tratamento da Covid-19, sendo 20 no Hospital Estadual, com 100% de ocupação de leitos, quatro na Unimed e dois em Barretos. Outras 24 pessoas estão internadas com sintomas leves, em enfermarias da cidade: nove no Hospital Municipal, 10 no Estadual e cinco na Unimed. Estes não constam do total de infectados.

Isolamento, letalidade e média móvel
O índice de isolamento social, medido pelo Simi-SP (Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo do Estado de São Paulo), aponta que na sexta (15), o isolamento era de 51%; caiu para 50% no sábado (16); no domingo, subiu para 56%; e na segunda-feira (18), baixou para 52%.
A taxa de letalidade de Bebedouro, que mede o percentual de pessoas infectadas que morrem em decorrência da doença, é de 2,32%. Já a média móvel indica que nos últimos sete dias, Bebedouro registrou 21,57 novos casos de Covid-19 por dia.

Possível caso de reinfecção na região
O Brasil tem dois casos confirmados de reinfecção pela Covid-19, além de outros cerca de 60 casos suspeitos, segundo o Ministério da Saúde, porém, que não enquadraram-se nos quatro itens analisados para serem considerados reinfecção. O primeiro caso é de uma médica, 37, de Natal (RN), que teve dois diagnósticos positivos em quatro meses; já o segundo, foi registrado em Fernandópolis, a cerca de 250km de Bebedouro: uma paciente, 41, diagnosticada com o vírus duas vezes no intervalo de 145 dias.
Nesta semana, o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto investiga mais um suposto caso de reinfecção, homem, 33, que por duas vezes recebeu resultado positivo em exames para Covid-19. O morador de Ribeirão percebeu os primeiros sintomas do vírus em junho de 2020, ao perder paladar e olfato e ao fazer o exame, testou positivo. Em 9 de janeiro deste ano, ao sentir sintomas gripais, mais uma vez recebeu diagnóstico positivo.
A equipe médica do HC estuda se o caso enquadra-se como reinfecção, mas também trabalha com a possibilidade de doenças autoimunes em seu organismo, ainda não reconhecidas. Até terça (19), o paciente seguia em isolamento, mas seu caso de saúde é leve e estável.

Publicado na edição nº 10547, 20 a 22 de janeiro de 2021.