Em crescimento: Bebedouro tem 21 casos suspeitos de Covid-19

Prefeito garante intensificação de ações preventivas. Já estão sendo instalados novos leitos no Hospital Municipal.

0
137
No combate – 14 novos leitos estão sendo instalados no Hospital Municipal para atender possíveis pacientes com quadros graves de Covid-19. (Divulgação)

Dados coletados pela Vigilância Epidemiológica de Bebedouro apontam que, até às 14h de quarta-feira (25), a cidade somava 21 casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19). O prefeito Fernando Galvão assegurou que as medidas adotadas pela Prefeitura serão mantidas e enrijecidas, para controlar o contágio da doença.
Rebatendo o pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, de que a população deveria voltar à normalidade, abandonando o isolamento, Galvão garantiu: “Seria irresponsabilidade de minha parte, vendo o crescimento de casos suspeitos, derrubar medidas de prevenção. É momento de enrijecer ações, ter união, seriedade e responsabilidade”.
Ainda de acordo com o prefeito, em Bebedouro, há casos confirmados por laboratórios particulares, pendentes de confirmação e contraprova do Instituto Adolfo Lutz, para que sejam oficialmente anunciados como positivos. “Estes casos podem ter resultado positivo nos laboratórios particulares, mas negativos do instituto, ou vice-versa. Ou seja, os dados oficiais só podem ser divulgados quando houver devolutiva do Adolfo Lutz. No momento, são 21 suspeitos. É apenas o que podemos afirmar”, disse Galvão.

Novos leitos
Foi divulgado pelo prefeito, na segunda-feira (23), a implantação de leitos preparados para atender possíveis pacientes em estado grave de Covid-19. De início, haviam sido anunciados 12 leitos, mas são 14 que estão sendo preparados pelo Hospital Municipal, com equipamentos adequados, como respiradores e monitores cardíacos. “Pedimos que a população intensifique o controle ao vírus, mas se preciso for, estamos prontos para atendê-los com qualidade”, garantiu Galvão.
Em entrevista a RB FM, o prefeito contou que, na manhã de quarta-feira (25), dois vereadores da oposição teriam invadido as dependências do Hospital Municipal, para averiguar os leitos sendo instalados e fazer críticas à decisão e declarou:
“Agora não é hora de divergências políticas, nem de desestruturar a saúde pública. Precisamos de ajuda, não de politicagem. Peço que a classe política se una, verdadeiramente, sem se aproveitar de uma situação delicada, por interesses pessoais”, acrescentando que foi feito boletim de ocorrência, através da Guarda Civil Municipal, pela secretária de saúde, Sônia Junqueira.