Energia do campo

0
60

As precipitações abaixo do esperado na estação das chuvas de verão têm gerado o receio de problemas hídricos ao País, seja no fornecimento de água para consumo humano e animal e para a agricultura, seja na geração de energia elétrica pelo modal hidrelétrico.

Na esteira deste problema, o setor sucroalcooleiro propôs ao governo federal a entrega de energia elétrica adicional ao sistema nacional, como forma de garantir maior segurança no fornecimento de energia às residências e empresas do Brasil.

De acordo com a proposta, as indústrias de açúcar e álcool teriam condições de fornecer aproximadamente 1.200 gigawatts-hora de energia elétrica adicional produzida nas plantas industriais através do processamento de biomassa da cana-de-açúcar.

O Ministério de Minas e Energia (MME) abriu consulta pública até 29 de junho, data limite para que os interessados no tema possam opinar sobre as condições e formas de concessão e utilização deste suprimento adicional energético.

A proposta, encabeçada pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), mostra-se pioneira e importante neste momento de fragilidade da matriz geracional de energia no País, tão (ainda) dependente da fonte hidrelétrica. Uma oportunidade para o Brasil, que agregaria uma importante fonte de geração de energia ao portfólio, para o setor sucroalcooleiro, que poderia obter nova fonte de receitas e, principalmente, para o meio ambiente.

(José Mário Neves David é advogado. Contato: jd@josedavid.net)

Publicado na edição 10.588, de 24 a 29 de junho de 2021.