Falta de jogo de cintura

0
89

A defesa dos direitos de uma categoria precisa conciliar-se com os interesses coletivos.

Às vésperas da inauguração de dois grandes supermercados em Bebedouro, dos Grupos Dia e Pão de Açúcar, todos os supermercados da cidade ficaram de portas fechadas, forçosamente, devido à falta de entendimento entre o Sindicato do Comércio Varejista e do Sindicato dos Comerciários. Ninguém ousou abrir as portas com o risco de ser multado em R$ 2 mil por cada funcionário.
É certo que os trabalhadores do comércio têm direito sagrado ao descanso, sendo dever do sindicato da categoria zelar por isto. Mas por outro lado, o sindicato patronal garante o pagamento de 100% de horas extras, além de abono de R$ 50, mais lanche e folga no meio da semana para os comerciários.
Como não houve assembleia convocada para que os comerciários discutissem a proposta, recaiu sobre a diretoria da entidade de classe, o ônus: lojas e supermercados de portas fechadas, com a cidade abarrotada de turistas que vieram para a Exposição de Carros Antigos e ExpoNoivas, no Bebedouro Shopping Center.
Há ainda que ser questionada a permanência das diretorias destas entidades de classe, há mais de dez anos. Diferente das eleições para vereador e prefeito, há pouca publicidade nas campanhas e chapas.
Assim como é saudável a renovação de lideranças na política, no meio sindical isto é vital, porque ser presidente ou diretor sindical não é emprego, é representatividade.
Todas as lideranças envolvidas no fechamento forçado das lojas e supermercados durante o feriado, precisam refletir sobre o papel de cada um na sociedade. Bebedouro tenta se firmar como polo regional do comércio e da prestação de serviços. Para manter o direito dos trabalhadores é preciso que as empresas faturem. E comércio fechado é fatal. Aberto nos finais de semana é vital.

Publicado na edição nº 9595, dos dias 10 e 11 de setembro de 2013.