Citricultores propõem desapropriação de fábricas desativadas

0
258

A reunião entre os citricultores, a indústria e o Ministério da Agricultura marcada para quinta-feira (14) foi transferida para segunda-feira (18), a pedido do Ministro da Agricultura. No dia 30 de maio, os citricultores e a indústria reuniram-se em Brasília para discutir os problemas do setor de citricultura. Durante a reunião, foram feitas propostas que foram encaminhadas à indústria e ao Ministério da Agricultura visando possível acordo. A Associtrus propõe que a indústria disponibilize uma de suas fábricas desativadas para que os citricultores processem a laranja. Com a contrapartida do  governo federal comprar o suco processado através da Conab ou de uma outra instituição  assistencial. “ Caso a indústria não aceite, outra  proposta é que o governo desaproprie as indústrias que acabaram de ser desativadas como a de Itápolis e Taquaritinga; e como ultima opção temos a Citrosuco de Bebedouro ou até mesmo de Matão.  Nós processaríamos este suco e venderíamos para o governo porque tem mão de obra especializada  que foi demitida pela Cutrale. Todos participariam, o governo, os citricultores e a indústria. O governo financiou para que essas indústrias plantassem seus pomares próprios. Agora, o governo também tem que ajudar o produtor”, explica Renato Queiroz, presidente do Conselho da Associtrus.

 

(…)

Leia mais na edição n° 9413, dos dias 16, 17 e 18 de junho de 2012.