Interior ultrapassa Capital em novos casos de Covid-19

“Esta inversão significa, portanto, atenção maior dos gestores públicos municipais no combate ao novo coronavírus em todo o interior do estado”, afirmou Marco Vinholi.

0
78
Resiliência – Marco Vinholi afirma que o momento é de cooperação e não separação, pois a ação de um prefeito, não impacta somente o seu município, mas também os vizinhos. (Divulgação/Governo de SP)

Pela primeira vez, desde o início da pandemia de Covid-19, o interior passa a capital paulista no número de novos casos da doença, registrado em uma semana. A afirmação foi dada pelo secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, em coletiva de imprensa, na segunda-feira (22).

Iniciativa Privada – Governo reconhecerá empresas que desenvolverem programas de testagem em massa no estado de São Paulo. (Divulgação/Governo de SP)

Segundo Vinholi, até o momento, “606 municípios do Estado de São Paulo possuem casos confirmados. O interior já tem 14,5% a mais de novos casos que a capital neste período da última semana. Isto registra inversão na lógica, que se deu em um primeiro momento, em que a capital era o epicentro da crise, epicentro da pandemia no estado de São Paulo. Esta inversão significa, portanto, uma atenção maior dos gestores públicos municipais no combate ao novo coronavírus em todo o interior do estado”.
O secretário cobrou atenção dos gestores municipais, criticando prefeitos que adotaram medidas contrárias às estabelecidas nas classificações do Plano São Paulo, citando como exemplo, a cidade de Marília. “O momento é de cooperação e não separação, tendo em vista que a ação de um prefeito, não impacta somente o seu município, mas também os vizinhos. Momento é de firmeza, de resiliência e de não ceder à pressão dos gestores públicos municipais, neste momento”, afirmou Vinholi, elogiando os prefeitos de Ribeirão Preto e Bauru, que endureceram as medidas, após o retrocesso destas regiões à fase vermelha do Plano São Paulo.
Testagem em massa – O governo reconhecerá empresas que desenvolverem programas de testagem em massa no estado de São Paulo, incentivando a adesão da iniciativa privada ao método. A testagem em massa contribui para o enfrentamento do novo coronavírus, tanto no âmbito de monitoramento da pandemia, quanto no que se refere ao controle imediato da doença, uma vez que identifica casos ativos e coloca os indivíduos contaminados em isolamento social.
“A estratégia ampliada de testagem do Governo de São Paulo compreende iniciativas de diversos atores públicos e privados, incluindo Estado, municípios, laboratórios privados, farmácias, empresas e empregadores”, mencionou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.
O governo recomenda a realização de testes pelas empresas, tanto para os profissionais que trabalham em atividades essenciais e para os que têm maior exposição ao risco de contágio, como também como protocolo de retorno mais seguro das atividades presenciais.
Bom Prato – O Estado também anunciou a prorrogação da oferta das três refeições e da alimentação gratuita a pessoas em situação de rua na rede Bom Prato até 31 de julho, garantindo segurança alimentar principalmente das pessoas em extrema vulnerabilidade social durante a pandemia.
Os 59 restaurantes permanecem funcionando todos os dias, inclusive aos fins de semana e feriados, com 1,2 milhão de refeições a mais por mês, totalizando 3,2 milhões por mês na rede. As embalagens descartáveis também serão mantidas neste período, já que não é possível usar os salões das próprias unidades.
Retreinar – Para reforçar os conhecimentos das forças de segurança do Estado, contribuindo para a redução de casos de violência policial durante ocorrências, policiais militares passarão por instruções e novos treinamentos.
“O Programa Retreinar atenderá coronéis, tenentes-coronéis, majores, capitães e tenentes, iniciando pelo comando da PM e depois na Academia do Barro Branco, para que possamos retreinar todo o comando das nossas tropas. Maus policiais que insistem em usar violência desnecessária junto à população vão compreender que isto não é aceitável na PM de São Paulo”, afirmou João Doria.
A meta do governo é fazer com que o treinamento chegue a sargentos, cabos e soldados da PM em 20 dias.

 

Publicado na edição nº 10495, de 24 a 26 de junho de 2020.