Média móvel de casos recua na cidade, com 45,78 infecções/dia

Na regional de Barretos taxa de transmissão cresce para 0,9, indicando alerta de disseminação do vírus.

0
74
(Fonte: Vigilância Epidemiológica)

A média móvel de casos volta a cair em Bebedouro, após duas semanas de crescimento. Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, compilados pela Gazeta, até terça-feira (3), a média de novas infecções pelo vírus em 14 dias é de 45,78 contaminações/dia, frente a 50,21 casos/dia na semana anterior, até 27 de julho.

O número de casos semanais estava em 138 na semana de 8 a 13 de julho, subiu para 272 de 14 a 20 de julho, cresceu ainda mais para 431 na semana passada, de 21 a 27 de julho e, nesta última semana (28 de julho a 3 de agosto), voltou a registrar recuo, com 210 contaminados em sete dias (-51,3%).

De acordo com boletim epidemiológico divulgado na terça-feira (3), 50 novos casos positivos da Covid-19 foram registrados durante o fim de semana e segunda-feira (31 de julho a 2 de agosto). Desde o começo da pandemia, 11.749 pessoas foram infectadas na cidade.

Com mais quatro óbitos, o número de vitimas fatais do vírus subiu para 314, sendo as mais recentes três homens de 53, 69 e 87 anos, falecidos no Hospital Estadual e Municipal, e mulher, 35, que estava internada no Hospital Nossa Senhora, em Barretos.

Atualmente, 109 pacientes com vírus ativo permanecem em monitoramento e isolamento domiciliar. Na terça (3), 144 pessoas aguardavam resultado de exames.

Com 16 pacientes em estado grave, a ocupação de leitos de UTI no Hospital Estadual caiu para 80%. Na rede privada são cinco, ou 45,45% de ocupação. Ainda de acordo com o boletim, não havia pacientes graves no Hospital Municipal e na UPA 24h, mas sete bebedourenses estão internados em hospitais de outros municípios.

Nas enfermarias são 15 hospitalizações, sendo três no Hospital Municipal, 11 no Hospital Estadual e um na rede particular.

Taxa de transmissão sobe

O índice de retransmissão da Covid-19 voltou a subir na DRS-5, de Barretos, em que Bebedouro está inserida. De acordo com dados da plataforma Info Tracker SP-Covid, desenvolvida por pesquisadores da USP e Unesp,  no dia 23 de julho a taxa estava em 0,53. No sábado (31 de julho), subiu para 0,89 e na segunda-feira (2), já estava em 0,90. Este número indica que cada 100 infectados têm potencial para transmitir o vírus para outras 90 pessoas.

A projeção da plataforma é que na próxima segunda (9), a taxa de retransmissão na DRS estará em 0,95. Mesmo ainda indicando probabilidade de controle da pandemia, a plataforma alerta que valores acima de 1,0 representam crescimento na disseminação do vírus.

Para a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Thais Teixeira, o aumento da transmissibilidade na regional pode ser atribuída a dois fatores: “Apesar da variante Delta não ter sido confirmada na DRS-5, o aumento da taxa de transmissão pode ter relação com a presença da variação no Estado. Outro ponto que pode gerar este acréscimo nos dados é que, com a vacinação, as pessoas ficam mais tranquilas em relação à prevenção, deixam de usar máscaras e álcool em gel, o que pode gerar mais contaminações, mesmo que sejam mais leves”, analisa Teixeira.

Ainda segundo a coordenadora, “o número de idosos infectados diminuiu bastante. Hoje, são pessoas mais jovens que apresentam infecções graves, esta mesma população que está recebendo a vacina só agora. A previsão é que, em breve, estes jovens também apresentem sintomas leves, mas vacinação não é garantia de proteção 100%. Medidas sanitárias ainda são necessárias”, conclui.

Vale Gás

O governador João Doria anunciou na terça-feira (3), a ampliação do programa Vale Gás, que passará a beneficiar 426,9 mil famílias em todo o Estado, nos 645 municípios paulistas, o correspondente a mais de 2 milhões de pessoas. O investimento nesta ação de segurança alimentar é estimado em R$ 128 milhões.

O benefício de R$ 300, pago em três parcelas bimensais de R$ 100, garante a compra de botijões de gás de cozinha (GLP 13kg) para famílias em situação de pobreza, que estão em situação de vulnerabilidade ou que estejam inscritas no CadÚnico.

Na primeira fase, o programa priorizava famílias residentes em comunidades, porém, com a ampliação do programa, todas as famílias que atenderem aos critérios de elegibilidade terão acesso ao voucher para o saque direto nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil.

Publicado na edição 10.598, de quarta, quinta e sexta-feira, 4, 5 e 6 de agosto de 2021.