Morre aos 87 anos, Renato Serotine

“Morreu meu ídolo, meu amigo, companheiro, trabalhador e vai deixar muitas saudades”, diz o vere"dor Tota.

0
283

Renato Serotine morreu na segunda-feira (24), no Hospital da Unimed, aos 87 anos.
Nascido em Pederneiras, Renato Serotine era casado com Maria Terezinha Parolin Serotine, pai de Jorge Luiz Serotine (in memorian), Nilza Aparecida Serotine e do vereador Carlos Serotine, o Tota.
Muito emocionado, o vereador explica que descobriu há poucos dias que seu pai estava com nódulos no pulmão: “Todos os domingos levava um frango assado para ele almoçar, comia sozinho. (brinca, indo as lágrimas). Há vinte dias, percebi que já não estava bem, com dificuldade para andar e, no final de semana, minha irmã disse que era melhor o levarmos para o hospital. Quando chegou, já foi entubado, com falta de ar. No domingo (23), estava bem agitado e hoje (segunda-feira) pela manhã, não resistiu”, lamenta o filho, acrescentando: “Morreu meu ídolo, homem trabalhador, meu pai, meu amigo, companheiro, vai deixar muita saudades”, finaliza.
Renato Serotine que trabalhou na Cia. Paulista, Fepasa, Frutesp e também no Bebedouro Clube, será sepultado no Cemitério Municipal, na manhã de terça-feira (25), às 10h.
A Gazeta se solidariza com todos os familiares.

Publicado na edição nº 10156, de 25 e 26 de julho de 2017.