O desenvolvimento em uma nova era

0
112

As pessoas desejam qualidade de vida, mais que todo o resto buscado nas décadas de 70, 80, 90…

Depois que as grandes metrópoles fracassaram no quesito qualidade de vida dos seus moradores, por completa ineficácia de seus gestores, onde a mobilidade leva no mínimo 3 horas entre ir e vir do trabalho; onde a saúde doente só é capaz de oferecer horas a fio na fila de espera; onde escolas cobram mensalidades mais caras que as melhores universidades do mundo; onde o sistema de segurança não sabe distinguir de que lado está o bem e o mal; onde a vida está relativizada entre a utopia da potencialidade do grande centro e o duro confronto com a realidade, está havendo uma inversão nas setas do êxodo, em busca do lugar ideal para investir, crescer, montar empresa e morar.
Então, chegou a hora de atrair investimentos e desenvolvimento não pela isenção fiscal às empresas, mas por oferecer qualidade de vida àqueles que procuram desesperadamente por isso.
Bebedouro pode e deve estar nesta lista de “bom lugar para se viver”.
Com o esgotamento do modelo dos grandes aglomerados e a persistência dos pontos negativos sem solução, fica cada vez mais evidenciado que as pessoas querem mudanças.
Na qualidade da infraestrutura de Bebedouro ainda é preciso investimentos, caros aliás, como os 70% de tratamento de esgoto (mas o projeto está em vias de ser autorizado) e a questão do lixo doméstico e da reciclagem, que ainda engatinham. Mas na operação logística, que é vocação inerente à nossa posição geográfica; e na abundância de nascentes que coloca Bebedouro em lugar mais que confortável, mesmo diante da pior estiagem já vista em mais de 50 anos, Bebedouro se apresenta como cidade viável para grandes oportunidades.
A Sala do Empreendedor inaugurada na terça-feira (19), dá holofotes às nossas potencialidades. Jovial, cordial, madura e bonita, a cidade tem grandes chances.
Que saibamos aproveitar.

Publicado na edição nº 9735, dos dias 21, e 22 de agosto de 2014.