Região de Barretos continua na fase amarela do Plano São Paulo

Com a evolução de casos e óbitos, a região de Ribeirão Preto regride da fase amarela para laranja, junto com Franca.

0
154
12ª atualização – A região de Barretos, a qual Bebedouro pertence, e mais 15 regiões, estão na fase amarela do Plano São Paulo (95%). Apenas Ribeirão Preto e Franca seguem na etapa laranja. (Divulgação/Governo de SP)

A 12ª atualização do Plano São Paulo, apresentada na sexta-feira (4), trouxe o avanço de cinco regiões do Estado da fase laranja para a amarela: Marília, Presidente Prudente, Registro, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto.
As regiões de Barretos, a que Bebedouro pertence, juntamente com Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Bauru, Campinas, Piracicaba, Sorocaba, Taubaté, Norte e Oeste da Grande São Paulo e a Baixada Santista permanecem na etapa amarela.
A tendência de queda nos índices está se mantendo tanto em internações como óbitos. Pela quarta semana consecutiva, foi registrado 13,5% de redução nos óbitos em relação à semana epidemiológica anterior. Pela quinta semana, houve também queda de 6,5% no número de internações se comparada à semana anterior, regredindo para os índices registrados em maio.
A média de ocupação de leitos de UTI atingiu o menor índice desde o início do Plano São Paulo e está abaixo de 55%. “A ocupação dos leitos de UTI mostra que somente a região de Franca ainda está com percentual de 75,7% de ocupação, mas este índice deve cair por conta dos 52 leitos instalados na região, ao longo da última quinzena”, explicou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.
Com a evolução de casos e óbitos, a região de Ribeirão Preto regrediu da fase amarela para laranja, juntamente com Franca, quando é permitido o funcionamento, com restrições, do comércio de rua, shoppings centers, escritórios, bares e restaurantes, academias, salões de beleza e barbearias.
Prorrogação da quarentena – O governo estadual prorrogou a quarentena em todo o Estado até o dia 19 deste mês. “Neste feriado, redobre os cuidados com você e com sua família. Oriente aqueles que relutam em usar máscara, sobre o distanciamento social e não faça aglomerações”, solicitou o governador João Doria.
Operação Independência – Doria anunciou também, na sexta-feira (4), a mobilização de 20 mil policiais para a Operação Independência. Ao longo do feriado prolongado, ações integradas entre as forças de segurança e a Secretaria de Logística e Transportes vão garantir apoio a municípios do litoral e interior na fiscalização de medidas sanitárias contra o coronavírus e patrulhamento de rodovias.
A ação teve início na madrugada de sexta (4) e se estende até o final da noite de segunda (7). Em Santos, as ações se prolongarão até terça (8) devido ao feriado municipal em celebração a Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira do município.
Além da atuação dos 20 mil policiais, as ações do Estado durante o feriado prolongado envolverão o uso diário de 7,2 mil viaturas, 880 motocicletas, 35 montarias, 11 helicópteros Águia da PM e oito drones para monitoramento de pontos estratégicos nas rodovias e também nas áreas urbanas.
A fiscalização de tráfego vai concentrar-se em testes de bafômetro e verificação do uso obrigatório de cinto de segurança, assentos infantis e capacetes. Por dia, a previsão é de 160 pontos de fiscalização nas estradas e 1,5 mil em áreas urbanas.
Por parte da Secretaria de Logística e Transportes, Artesp e concessionárias, as ações envolvem mensagens informativas via redes sociais e painéis rodoviários; fiscalização, socorro mecânico, guincho e ambulância; e monitoramento 24 horas nos CCOs (Centros de Controle Operacional).
Educação – A Secretaria Estadual de Educação lançará o programa “Psicólogos da Educação”, contratando cerca de mil profissionais da área para atender 3,5 milhões de estudantes e 250 mil professores e servidores da rede estadual paulista. O atendimento remoto vai ser feito em mais de 5 mil escolas, a partir de novembro.
Os atendimentos serão feitos inicialmente por videoconferência, remotamente, como determina a orientação do Centro de Contingência da Covid-19.
Os psicólogos apoiarão o desenvolvimento das ações do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva-SP) e orientam profissionais sobre possíveis sinais passíveis de identificação de traumas e abusos entre os alunos, além de conduzir testes e ferramentas psicológicas, conforme planejamento de cada escola.
Todas as mais de 5 mil unidades da rede estadual serão beneficiadas. Cada escola terá à disposição, no mínimo, 5 horas semanais de atendimento por um psicólogo. Quanto maior o número de alunos atendidos pela unidade, maior será a carga horária semanal disponibilizada pelos profissionais. Os atendimentos começarão em novembro.

 

Publicado na edição nº 10516, de 5 a 11 de setembro de 2020.