Região de Barretos retorna para fase vermelha do Plano SP

As regiões de Ribeirão Preto e Presidente Prudente também voltam a restringir a economia por conta do crescimento no número de casos de coronavírus e de óbitos.

0
215
Atualização – Governo Estadual apresenta a segunda atualização do Plano São Paulo, indicando que 14 regiões permaneceram ou avançaram para fase laranja. As regiões de Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Barretos, retrocederam para fase mais restritiva, vermelha.(Divulgação/Governo de SP)

A região de Barretos, a que Bebedouro está inserida, mais Ribeirão Preto e Presidente Prudente, saem da fase amarela, retrocedendo duas fases, para a vermelha, permitindo apenas o funcionamento dos serviços essenciais, podendo abrir apenas indústria, construção civil, supermercados, farmácias e açougues. Na fase amarela, há reabertura de serviços imobiliários, escritórios e concessionárias seguindo todos os protocolos sanitários. Comércio de rua, shoppings e salões de beleza, além de bares, restaurantes e similares podem funcionar com restrições de horário e fluxo de clientes.

Desde abril, as projeções do Estado apontavam que a contaminação estava mais acelerada no interior do que na capital. Com os últimos dados do Plano SP, o governo decidiu ampliar restrições a atividades econômicas não essenciais em cinco regiões. Araraquara e Bauru voltaram da fase 3 (amarela) para a 2 (laranja), enquanto que as áreas de Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente voltaram à etapa 1 (vermelha) de máxima restrição.
“Manteremos a quarentena por mais duas semanas, mas com a retomada consciente de algumas atividades econômicas. Estudos apresentados apontavam que os casos se estabilizariam na região metropolitana e aumentariam no interior do estado. Foi exatamente o que aconteceu. Com o plano São Paulo podemos atuar melhor em cada região do estado. Claramente, temos aumento de casos nas regiões de Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto”, afirmou o governador João Doria, em coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes, informando que a nova classificação anunciada nesta quarta (10), entra em vigor a partir de segunda-feira (15) até o dia 28 deste mês.
Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde, após a flexibilização iniciada em 1º de junho, os números de casos, assim como de óbitos, cresceram acima de 60% nas regiões, chegando a dobrar em alguns locais.
“Há uma tendência em todo o interior, de evolução da pandemia e o momento é de controle, ao mesmo tempo que na Região Metropolitana de São Paulo, Baixada Santista e Vale do Ribeira, registramos essa desaceleração”, acrescentou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.
De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, todo o interior de São Paulo precisa de atenção quanto à evolução do novo coronavírus.
“O isolamento social é chave neste processo. Esse cenário só se garante com a cooperação da população e também com a liderança dos prefeitos nessa parceria com o Governo do Estado. Na região de Ribeirão Preto, a variação em óbitos foi de 100%. Em Barretos, foi de 93% em novas internações e 100% em óbitos também. O interior requer atenção como um todo. Nessas três regiões mencionadas [Ribeirão Preto, Barretos e Presidente Prudente] a recomendação é de endurecimento das medidas restritivas”.
O Plano SP fixou cinco fases de retomada gradual e faseada das atividades sociais e econômicas, com as 17 regiões do estado classificadas por cores. Estes indicadores serão avaliados a fim de estabelecer a fase em que se encontra cada região do Estado. A cada 15 dias, uma região poderá se mover para fases menos restritivas, mas poderá regredir, conforme os indicadores recuem.

 

Publicado na edição nº 10492, de 11 a 16 de junho de 2020.