“Se compararmos com meses atrás, a condição melhorou”, diz Meio Ambiente

Sobre aterro do Res. Pedro Paschoal, projeto para compra de máquinas, rejeitado por vereadores de oposição, impedem que problemas com incêndios sejam sanados.

0
97
Foto Gazeta de Bebedouro

O aterro de descarte de poda de vegetação e sobras de construção civil, comumente chamado de ‘lixão’, continua a incomodar os moradores dos bairros Cidade Coração, Parati I e II e Res. Pedro Paschoal, o mais afetado pela fumaça oriunda dos incêndios criminosos nos resíduos de podas. O local está sendo limpo e controlado pelo depto. de Meio Ambiente, porém, sem equipamentos para realizar o processamento dos galhos, o problema deve continuar. A autorização de financiamento do equipamento foi negada pelos vereadores oposicionistas na 5ª Sessão Extraordinária da Câmara Municipal e o problema deve continuar.

Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

Publicado na edição de nº 10409, de 13 a 16 de julho de 2019.