Secretaria Estadual de Desenvolvimento diz que fase laranja segue vigente na regional de Barretos

Bebedouro tem 1.437 infectados pela Covid-19 e menor média móvel dos últimos meses.

0
37

Em 9 de outubro, durante coletiva de imprensa, o Governo de São Paulo anunciou que a região de Barretos seria a única a retroceder para a fase laranja do Plano São Paulo, após aumento de mortes e internações por Covid-19, no prazo de 28 dias.
Semanas antes, a secretária estadual de Desenvolvimento, Patrícia Ellen, havia informado à imprensa que a fase laranja seria extinta, mesmo assim, durante a última atualização do Plano, a região DRS-5 foi rebaixada para esta classificação.
Em nome das cidades da região afetadas pela alteração, o Codevar (Consórcio de Desenvolvimento do Vale do Rio Grande), presidido pelo prefeito Fernando Galvão, na terça-feira (13), solicitou ao Governo, análise para revisão da regional de Barretos.
Em reunião entre prefeitos do Codevar, os secretários, de Saúde, Jean Gorinchteyn e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e integrantes do Comitê de Contingenciamento, receberam a solicitação, com a promessa de análise em uma semana, porém, o assunto não foi abordado na coletiva próxima.
No mesmo dia, a Gazeta solicitou resposta à Secretaria de Desenvolvimento sobre o pedido de revisão de fase. A nota protocolar encaminhada pela assessoria da Secretaria, após o fechamento da edição de sábado (17), informa: “O Plano São Paulo segue critérios técnicos e de saúde. A fase laranja segue vigente, conforme critérios apresentados na atualização de sexta-feira (9). Os critérios e a metodologia do plano estão disponíveis e podem ser consultados no site saopaulo.sp.gov.br/planosp”.

Atualização de casos
De acordo com boletim epidemiológico de terça-feira (20), Bebedouro tem 1.437 pessoas infectadas com Covid-19, desde março deste ano, sendo 1.268 residentes em Bebedouro e 169 moradores da microrregião. Do total de pessoas contaminadas, 10 estão em isolamento domiciliar, com o vírus ainda ativo em seu organismo, ou seja, ainda apresentam sintomas da Covid-19: são nove de Bebedouro e apenas um da região. Há também 1.385 pacientes que já estão recuperados da doença, representando 96,38% do número total de infectados desde março, sendo 1.217 bebedourenses e 168 moradores dos municípios da região.
O número de vítimas fatais da Covid-19 na cidade segue em 42, desde a última terça-feira (13). No total, 24 pessoas morreram em hospitais locais e 18 em unidades de saúde de outras cidades.
Há 12 bebedourenses nas UTIs, em tratamento da Covid-19, sendo nove em hospitais de Bebedouro e três em unidades de saúde de Barretos. Há ainda 10 infectados em enfermarias, com sintomas leves do vírus. A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Thais Teixeira, esclarece que os números de internados, seja em UTIs ou enfermarias, não se somam ao montante total pois estão inclusos entre confirmados, recuperados ou suspeitos: “Parte dos pacientes internados, incluem-se na discriminação de casos positivos, porque ainda transmitem o vírus; outros ainda não receberam resultados de exames e constam como suspeitos; e há ainda os que estão internados há mais de 20 dias, tempo determinado para que os pacientes em UTI e enfermaria já deixem de transmitir o vírus, e estão descritos como recuperados”, detalha Teixeira, por mais paradoxal que possa parecer este protocolo.
A coordenadora acrescenta que, conforme deliberação CIB 75, do Ministério da Saúde, publicada pela Secretaria Estadual de Saúde, o período de isolamento para pacientes não internados, é de 10 dias, enquanto para aqueles que necessitam de internação ou UTI, é de 20 dias. Porém, caso o paciente ultrapasse o período de isolamento e permaneça internado, passa a constar como recuperado, mesmo ainda fazendo uso de medicação e equipamentos hospitalares.
“A deliberação também determina que, caso o quadro do paciente internado há mais de 20 dias evolua para óbito, a morte é considerada ‘em decorrência da Covid-19’, porém, como o organismo deixa de ser transmissor do vírus, a vítima pode ser sepultada normalmente, sem as exigências específicas de alguém que faleceu antes de completar 20 dias de internação”, acrescenta a coordenadora.
Um óbito suspeito pelo novo coronavírus foi apontado por internautas durante o final de semana. A Gazeta questionou a coordenadora que o número de mortes no boletim não sofreu alteração e Teixeira respondeu: “Quando se trata das mortes, antes de inserir o paciente no boletim, é necessário ter em mãos, o resultado dos exames que confirmem que o óbito decorreu de complicações causadas pela Covid-19. A morte do final de semana está sob suspeita, aguardando exame laboratorial para ser anexado à certidão de óbito, constatando ou não se o óbito tem relação com o vírus”, explica.

Isolamento e média móvel
O índice de isolamento social de Bebedouro mostra que na sexta-feira (16), o percentual estava em 49%, subiu para 52% no sábado (17), no domingo (18) chegou ao primeiro lugar no ranking estadual, com 56% e na segunda-feira (19), voltou a cair para 48%.
A média móvel de Bebedouro, considerando as infecções dos últimos sete dias aponta 5,85 novos casos por dia na cidade. Esta é a menor média dos últimos meses, que vem sendo reduzida a cada semana, conforme levantamento periódico da Gazeta.

 

Publicado na edição nº 10527, de 21 a 23 de outubro de 2020.