Sua filosofia: “É preciso ter fé e alguma coisa para amar”

0
70
Fé na vida – Rosana, o marido Marcos e a pequena Isadora levam a vida com leveza, amor e muitos sorrisos. (Arquivo pessoal)

“Maria, Maria. É o som, é a cor, é o suor. É a dose mais forte e lenta. De uma gente que ri. Quando deve chorar… Mas é preciso ter força. É preciso ter raça. É preciso ter gana sempre. Quem traz no corpo a marca.
Maria, Maria. Mistura a dor e a alegria”. Este trecho da música de Milton Nascimento retrata a história de vida desta bebedourense, que não aceita o título de guerreira.
No Gente desta semana, dividimos a história de vida de Rosana Lima Alquas, que mesmo diante das dificuldades e obstáculos leva a vida com leveza e sorrisos. Mãe de três filhos portadores da doença neurodegenerativa Tay-Sachs, que destrói as células nervosas do cérebro, provocando crises convulsivas e comprometendo todas as funções do organismo, Rosana afirma que é “abençoada por Deus” e que seus filhos, Gabriel e Bruno, “são anjos que vieram para me ensinar muito. Depois deles, sou outra pessoa”, referindo-se aos filhos que já faleceram.

Quer ler mais? Seja assinante da Gazeta.

CLIQUE AQUI e ASSINE

Se já for assinante basta entrar com os dados abaixo.

 

Publicado na edição nº 10514, de 29 de agosto a 1º de setembro de 2020.