Surto de diarreia afeta cerca de 1,5 mil moradores

0
269

Nas últimas três semanas, um surto de diarréia afetou cerca de 1,5 mil moradores que recorreram ao Hospital Municipal Julia Pinto Caldeira. Em entrevista a EPTV, filial da Rede Globo da região, a diretora do Depto Municipal de Epidemiologia, a médica Iara Ramalho Luz, descartou a possibilidade da contaminação ter sido causada pela água. “Observamos que não é a água, já que diarréia é uma doença hídrica. Começamos a fazer outros exames como observar se é um vírus, uma bactéria, é um parasito e nestes exames, o resultado não comprovou nada disto. O nosso foco maior é saber qual é o agente causador”, disse Iara Ramalho. O diretor do Saaeb,  Gilmar Feltrin também descarta  que a água da cidade esteja contaminada, “O problema não está com a água do nosso município, tenho todos os laudos da Vigilância Sanitária que comprovam isso. Se fosse assim, todos da região tomaram água de Bebedouro?”, indaga o diretor, ressaltando: “o depto de Saúde é que tem que saber o que está acontecendo, quais são as causas deste surto, que pode ser um problema de falta de higiene ou pela péssima qualidade do ar”.

A infecção tem atingindo pessoas de todas as faixas etárias de Bebedouro e região, como Viradouro, Ribeirão Preto e Sertãozinho. Segundo a Vigilância de Barretos, além da diarréia, os pacientes podem apresentar vômito, febre e inchaço do abdômen, a doença tem duração curta, em média três dias e não é grave, porém, dependendo da duração, pode acarretar consequências maiores para a saúde, se o problema persiste por mais de 14 dias, a diarreia é classificada como crônica e precisa de cuidados médicos. A Gazeta de Bebedouro entrou em contato com os diretores dos Depto. de Saúde, Saulo Ramalho Luz que a partir das 10h de sexta-feira (1º), já não estava mais no Hospital Municipal; e com a diretora do Depto. de Vigilância Epidemiologia, Iara Ramalho Luz, que também não atendeu a reportagem.
Na manha de sexta-feira (1), a Diretoria Regional de Barretos reuniu-se com a diretora Iara Ramalho Luz, e com o diretor, Gilmar Feltrin, “apesar da contaminação da água ter sido descartada, participei da reunião para discutirmos e tentarmos identificar quais foram as causas que geraram este surto, para que seja tomada uma providência. Se o Saaeb precisar fazer alguma análise, estamos à disposição”, informa Feltrin.

 
Publicado na edição n° 9408 dos dias 2, 3 e 4 de junho de 2012.