Viva a Igreja de São João Batista

0
244

A expansão de nossa cidade deu-se no entorno deste local religioso que congrega a população.

Nesta terça-feira (24), Dia de São João, é feriado municipal, dedicado ao Padroeiro São João Batista, na justa homenagem não só ao santo, mas a tudo que histórica e socialmente representa a Igreja Matriz.
No final do ano passado, a Gazeta fez suplemento especial, com reportagens sobre a história das construções das principais igrejas da cidade, ligada intrinsicamente com a expansão urbana de nosso município.
A história religiosa da então Vila de Bebedouro, começa no século XIX, quando o padre Francisco Valente, da Paróquia do Espírito Santo, de Barretos ou São José do Rio Preto, falta precisão no documento, que aqui veio para celebrar a primeira missa, na esquina da rua Brandão Veras com rua Oscar Wernek.
A primeira capela de Bebedouro, que foi inaugurada em 1882, em louvor a São Sebastião, ficava na praça de mesmo nome, onde hoje está a praça 9 de Julho, sede do antigo Fórum.
Em 1890, poucos anos após a emancipação da cidade, 400 moradores resolveram trocar São Sebastião por São João Batista, em plebiscito, fato que ainda carece de pesquisa, para elucidar o verdadeiro contexto.
Em 24 de março de 1911 houve uma reunião com o Arcebispo José Marcondes Homem de Mello, de São Carlos, e o pároco Francisco Garaude, onde foi lançada a pedra fundamental da atual Matriz. A primeira planta foi aprovada pelo Bispo José Marcondes, sendo necessária, a demolição da igreja de São Sebastião, em 1918, dando lugar à igreja Matriz de São João Batista da Boa Vista, nome da época.
Foi muita luta no processo de sua construção, inclusive, interrompida por tempestade que a destruiu parcialmente. Porém, a comunidade reunida retomou o trabalho e finalmente em 8 de julho de 1926, com a presença do cônego Aristides da Silveira Leite, a Igreja Matriz recebeu a benção episcopal do Bispo D. Joaquim Mamede da Silva Leite.
É importante relatar estes fatos e perceber como a edificação da igreja se parece com a história de Bebedouro. Muito esforço para se construir esta cidade, com muitas interrupções por tempestades naturais e políticas, estas que mais ocorreram nos últimos anos. E apesar de tudo, o prédio está lá, como um dos mais belos pontos turísticos da cidade.
Falta hoje aos homens, principalmente àqueles que anseiam serem chamados de líderes, entender todo este processo, para aperceberem-se que são apenas uma das mãos a colocar os tijolos que edificam a cidade. E numa construção, pouco valem os dicursos e o projeto pessoal. Para Deus e para Bebedouro, o importante é a entrega em nome do bem comum. Que São João Batista nos ilumine para que mantenhamos o foco no que realmente interessa.

Publicado na edição nº 9710, do dia 24 e 25 junho de 2014.