Aparência

Por Sarah C.P. Cardoso

0
173
Levando informação – Gazeta apresenta seu processo de produção a alunos do Abílio Alves Marques que irão desenvolver fotorreportagem em trabalho unindo disciplinas de português e matemática.

Frase da semana

“Que dias há em que na alma me tem posto/ Um não sei quê que nasce não sei onde/ Vem não sei como e dói não sei porquê”.

Luiz Vaz de Camões, do soneto ‘Não pode tirar-me as esperanças’, declamado pelo ator Lima Duarte, cujo vídeo foi postado nas redes.

Nem sempre o que aparenta ser o é de verdade. O filósofo e professor Luis Felipe Pondé faz uma ponderação em seu artigo na Folha de São Paulo, de 28/março/22 comparando o sistema financeiro de Banking à barbárie, com a desumanização das relações com os clientes saltando aos olhos, principalmente aqueles das gerações mais velhas. Para os mais jovens, o fato do sistema tecnológico não funcionar 100%, é engolido pela geração digital, acostumada que está aos maus tratos dos algoritmos e mensagens. Nem o serviço de atendimento ao consumidor tem gente de verdade por trás das telas e telefones. Evolução ou (in)volução?

Lançamento

Neste dia 31 de março estreou nos cinemas “O presidente improvável”, documentário dirigido por Belisário França, que aborda sequência de conversas que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teve durante a pandemia, com amigos, ex-ministros, colaboradores, que vão do historiador Boris Fausto ao ex-presidente dos EUA Bill Clinton, este em conversa não presencial. São 21 encontros de setembro de 2020 a junho de 2021, reproduzidos em filme cuja estreia, absolutamente proposital, foi no dia dos 58 anos do golpe militar que depôs o presidente João Goulart e foi instaurada a ditadura. No filme, pela primeira vez, FHC faz mea culpa por sua insistência e militância para instauração da reeleição no país. Hoje, o ex-presidente acredita ser melhor um mandato mais longo, de 5 ou 6 anos, à reeleição.

Tão caro que…

Viraram objeto de desejo de ladrões, os fertilizantes. Já existe quadrilha especializada atuando em fazendas do Mato Grosso. Uma delas com quatro integrantes foi presa na operação policial ‘Piratas do Agro’ depois de furtarem 490 toneladas de fertilizantes, que resultaram em prejuízos de R$1,2 milhão.

Por ações afirmativas

Depois da repercussão negativa pela plataforma Linkedin não permitir promoção de ações afirmativas quanto à equidade racial e da diversidade quando o assunto são vagas no mercado de trabalho, voltaram atrás, por enquanto só no Brasil. Num país injusto como o nosso, as ações afinal são uma maneira de aumentar oportunidades àqueles que são discriminados por suas características de origem como cor da pele, diversidade de gênero etc.

Desculpa pra boi dormir

A alegação da plataforma seria vedar “demonstrações de preferência por profissionais com determinados requisitos ou características individuais”. O que dizer desta nossa sociedade racista e preconceituosa que ainda inicia seus anúncios de vagas de emprego exigindo “boa aparência”?

Crise

As lojas Etna de móveis e decorações anunciou que irão fechar as portas e liquidar seus estoques. Desde 2004, a rede vinha crescendo com abertura de várias lojas físicas, mas na pandemia ficou pra trás no e-commerce. Agora, tenta levantar capital liquidando seus estoques com descontos que chegam a 90%.

Janela

Sabem aquela janela que citei no Sobrevoo de 26 de março, a partidária? Pois é, ela não funciona para aqueles que têm mandatos como vereadores e prefeitos porque não são objetos das próximas eleições. Sendo assim, o partido Solidariedade não aceitou o pedido de desfiliação de Chanel. Se insistir em sair, o vereador perderá o mandato. Ele mesmo deu a notícia na sessão da Câmara, usando o mesmo palco de quando anunciou que deixaria o SD.

Gazeta apresenta seus processos aos alunos do Abílio Alves Marques

Aprendendo – Com edições da Gazeta em mãos, alunos do Abílio Alves Marques prestam atenção aos depoimentos dos jornalistas para usá-los em trabalho de fotorreportagem.

Na manhã de quarta-feira (30), a Gazeta de Bebedouro participou de roda de conversa com alunos do 7º e 8º ano da escola Abílio Alves Marques, organizada pelas professoras Vanda Nogueira e Magali Marques, de língua portuguesa e matemática, respectivamente. A diretora Sarah Cardoso abriu a conversa explicando aos estudantes todo o processo de produção do jornal, desde a sugestão de pauta até a impressão, passando pelo comercial.

O projeto ‘Uma imagem vale mais que mil palavras’, faz parte da oficina ministrada pelas duas professoras que trabalha com os alunos, a confecção de fotorreportagem sobre tema envolvendo a escola ou seu entorno: “Tivemos que pensar em algo que unisse o português e a matemática, pois as duas disciplinas estão presentes o tempo todo, no dia a dia”, conta Marques.

“O trabalho será entregar uma crítica positiva ou negativa e ir atrás das informações, falar com os envolvidos e não apenas apontar o problema ou o que está bem feito. Queremos que aprendam como se preparar para uma entrevista, como se comportar, entendam o que precisam perguntar ao entrevistado e a visita da Gazeta à escola foi fundamental para enriquecê-los e muni-los de informação”, diz Nogueira.

No bate-papo, a professora quis saber dos jornalistas da Gazeta como preparar-se para entrevistar uma fonte, o que pode ser perguntado e como é realizada a reunião de pauta. Sarah Cardoso e os jornalistas Fernanda Vaz, José Piutti e Marcos Pitta descreveram a rotina diária da Gazeta, desde a sugestão de uma pauta, passando pelo processo de escrita, revisão e edição, diagramação e impressão.

A Gazeta também apresentou aos alunos, algumas edições encadernadas, dos anos 2010 e 2011, para que analisassem o que foi notícia pouco tempo depois deles nascerem. Os adolescentes também demonstraram grande interesse pela parte de impressão, principalmente após analisarem o fotolito, que é o processo de pré- impressão das páginas antes de gravarem-se as chapas e passar pela máquina off set de impressão em papel jornal.

Animado com tudo que viu e ouviu, o estudante Lucas Pyetro, do 8º ano, se sentia mais disposto a ler notícias: “É de extrema importância conhecer o que acontece na nossa cidade, estar por dentro de tudo. Não fazia ideia de como produzir um jornal era complexo, tudo foi novidade para mim e só reforçou o quanto precisamos estar bem informados”.

Os alunos receberam edições da Gazeta e Pyetro ficou impressionado com uma das notícias: “Não sabia que o cemitério havia sido furtado [referindo-se à matéria publicada na edição 10.646, de 19 a 22 de fevereiro de 2022]. Isto é um absurdo e agora fiquei ainda mais curioso para saber notícias da cidade”.

O estudante também afirma como a visita da Gazeta vai contribuir para a realização do trabalho em sala de aula: “Ainda não sei o tema que vou desenvolver, mas com certeza captei as dicas para entrevistar e escrever uma boa matéria. O projeto junto com as professoras ganhou ainda mais força e riqueza”, finaliza Pyetro.

Publicado na edição 10.657, de sábado a terça-feira, de 2 a 5 de abril de 2022.