Conrado Caldeira obteve a melhor nota entre as escolas

0
215

Do outro lado, a Lellis do Amaral referência até fora do município por atividades extra-curriculares, obteve a pior nota no fundamental II.

Na terça-feira (14), o MEC divulgou as notas do Ideb, que avalia a qualidade do ensino brasileiro, utilizando dois critérios: a Prova Brasil aplicada bienalmente e a aprovação dos alunos. Para Rejane de Oliveira, supervisora de ensino do Demec, as escolas do município estão dentro da média do Brasil, “percebemos que nós tivemos um rendimento progressivo em termos de departamento de Educação, basicamente todas as unidades tiveram uma progressão no rendimento, porém nós tivemos um alto índice de reprovação, comparando 2011”.
A média geral no conjunto das escolas municipais da cidade, do ensino fundamental l (1ª ao 5°) subiu de 5,5 para 5,6, atingindo a meta de 2011. A escola Conrado Caldeira obteve a melhor nota, 6,5. Já no fundamental II (6ª ao 9°), a média geral foi 3,1, e a meta projetada era de 4,9. Os piores resultados ficaram com as escolas João Pereira Pinho, com 4,7 e Lellis do Amaral Campos, que caiu de 4,4 para 2,7. Segundo a supervisora Rejane de Oliveira, o número de reprovações do ano passado é um dos motivos do baixo índice da escola Lellis do Amaral, no Ideb. Já o fundamental II das escolas estaduais teve a média geral de 4,6. A escola Abílio Alves Marques obteve a melhor nota, saltando de 4,9 para 5,1.

Resultados – Para a direção da Conrado Caldeira, trabalho em equipe fortalece a escola.

 

(…)
Leia mais na edição n° 9440, dos dias 21 e 22 de agosto de 2012.