Construção civil pós Covid-19

Paulo Camargo

0
77

Covid-19 é a bola da vez no mundo e seus impactos na economia já são considerados desastrosos. Para a construção civil, o cenário é preocupante já que este vinha de um período de desaceleração e apenas no primeiro trimestre estava sinalizando um fôlego esperançoso. Infelizmente, este forte carro chefe da economia foi golpeado na cabeça com esta pandemia. Mas, a luta continuará e dias melhores virão. O negócio é se adaptar, ou como dizia alguém: Temos que dançar conforme a música.
Proteger o caixa é fundamental. Cortar tudo que não for prioritário é importante, porém preservar empregos, vidas e famílias deve estar no outro lado da balança. De que adianta salvar-se e deixar outros perecerem? Aliás, acho que quem pensar só em si, não sobreviverá como empresa.
Lembre-se que a inadimplência é a última alternativa, pois o crédito é fundamental para esta travessia e sua empresa precisa continuar operando. O crédito ajuda aliviar o estresse causado pelo fluxo de caixa desencaixado. Se tiver que ficar endividado, que fique com grandes empresas, pois estas são mais flexíveis nas negociações e acabam lhe dando um fôlego a mais. Sempre comece negociando pelo maior credor, mas antes, tenha em mãos, sua capacidade de pagamento para que estes acordos fiquem dentro destes valores.
Ficar atento às flexibilizações do governo também ajudará muito neste período, vários impostos terão carências. Impostos federais que venceram no último dia 20 foram prorrogados para outubro e alguns tipos de empresas foram beneficiadas. Assim como o recolhimento de FGTS que estão suspensos em abril, maio e junho. Fale com seu contador.
O BNDES também está com programas de apoio às empresas, entre eles o capital de giro e folha de pagamento. A Caixa Econômica Federal terá R$ 154 bilhões para as empresas de construção civil. Novos financiamentos imobiliários terão 6 meses de carência para o pagamento da 1ª parcela.
Empreendimentos ainda não iniciados e que contam com financiamento junto à Caixa Econômica Federal terão antecipação de 20% do financiamento e aqueles que ainda não iniciaram terão prorrogação de 180 dias sem alterações no contrato original.
Estes são alguns recursos existentes no mercado e que já estão implantados, muitos outros virão. Mas, não se esqueça, sua empresa a partir da Covid-19 deve se preparar para uma nova forma de gestão. Processos colaborativos serão os fundamentos das empresas pós Covid-19. Tomadas de decisões deverão ser norteadas em históricos anteriores vividos por outras pessoas, que fazem parte deste processo colaborativo minimizando riscos e dando agilidade aos processos. Atualmente está muito em voga a metodologia BIM, abreviação em inglês de Building Information Model, que quer dizer Modelo de Informação na Construção. Sobre a metodologia BIM falaremos no próximo artigo.
Desejo saúde física, espiritual e financeira a todos. Sucesso!!!!

(Colaboração de Paulo Camargo, engenheiro civil e sub-diretor municipal de obras.)

 

Publicado na edição nº 10481, de 25 a 30 de abril de 2020.