Corinthians: Campeón!

0
303

Intacto, invicto e impecável: Timão conquista a América pela 1ª vez.

 

Se 4 de julho de 1776 representa o maior marco da história dos Estados Unidos da América, 4 de julho de 2012 representará o evento mais importante da história de outra nação: a corintiana, a do bando de loucos.

Alguém pode tentar encontrar um único herói para coroar a campanha intocável do Corinthians nesta Copa Libertadores, porém, não há um único personagem que se possa destacar dos outros.  A conquista vai desde a diretoria, passando pelos profisssionais do clube, jogadores, comissão técnica e termina, claro, na torcida.  Foi um belo trabalho de equipe, todos estes elementos, casados, fizeram do Corinthians o dono da América, em 2012. Porém alguns destes personagens têm de ser aqui registrados.

E o primeiro deles é Andrés Sanchez. Talvez o melhor presidente da história do clube, que assumiu o Corinthians numa terrivel crise e deu uma aula de gestão esportiva em seus rivais. Conseguiu grandes patrocinadores, arrecadou volumes imensos de capital, viabilizou a construção do tão sonhado estádio corintiano e foi o precursor desta caminhada rumo à Libertadores.

E quem lembra de Andrés Sanchez, lembra de Tite. Para muitos, o maior responsável pela conquista deste título. Mas, como dito anteriormente, o mérito é dividido. Até porque, quando eliminado pelo Tolima em 2011, nas preliminares da Libertadores, Tite foi mantido no cargo por Sanchez, e aí está a divisão de méritos. No entanto, Tite, mantido no cargo, montou uma equipe. Conhece todas as peças que tem e todas elas o respeitam. Desenvolveu um sistema único de jogo, onde a defesa é o início de todo ataque. Agrupou os jogadores e, acima de tudo, mostrou ao Brasil – e agora a América – o que significa futebol solidário. Dá gosto de ver como o Corinthians se ajuda.

Aos personagens que jogam dentro das quatro linhas, não há um que não tenha destaque. Foi um elenco. Um futebol solidário. Em que atacantes e defensores marcavam e se ajudavam. Onde a estrela de um poderia brilhar numa noite, mas na outra, esta estrela ajudava outra a brilhar. Sem egoísmos e com o fardo dividido entre todos, o Corinthians foi uma equipe.

Entretanto, a força maior vem de fora dos gramados e não tem cargo executivo no clube. A verdadeira engrenagem corintiana atende por um bando de loucos que não pára de gritar e que, neste instante, continua eufórico de lembrar os fatos ocorridos no dia 4. A estes verdadeiros torcedores, as palavras são poucas para vos homenagear. É arrepiante – e aterrorizador para os adversários – a força que a torcida leva ao gramado. O 12º jogador corintiano tem nome e grande participação neste título: nação corintiana.

Enfim, foram 52 anos de espera para chegar a sua primeira final e, logo na primeira tentativa, levantar o caneco e aumentar a coleção de títulos do Timão. Parabéns Corinthians e corintianos. Este título é de vocês e jamais poderá ser contestado. Vai Corinthians!

(Colaboração de Rafael Barbosa email: rafa.gazeta@hotmail.com e Deborah Ribeiro, e-mail deborah_voga@live.com)