Educação mantém 50% de capacidade dos alunos nas escolas municipais

Decreto permite 100% dos alunos nas escolas, desde que distanciamento de 1 metro seja cumprido. Cada instituição deve determinar sua organização.

0
112
De volta ao normal – Após novo decreto que permite até 100% dos alunos em aula, o Unifafibe volta a receber estudantes em sistema de rodízio e com capacidade reduzida, mantendo protocolos de segurança.

Conforme decreto municipal de 5 de agosto, que segue regras do Plano São Paulo, escolas de Bebedouro podem funcionar com 100% dos alunos, desde que sigam medidas de prevenção à Covid, como o distanciamento de 1 metro entre cada estudante em todos os ambientes, inclusive aqueles de acesso comum, além do uso contínuo de máscara, aferição de temperatura e uso de álcool em gel nas dependências das instituições.

Segundo o secretário municipal de Educação, Hélio dos Santos Souza, o decreto municipal segue deliberação do Estado, dando à cada rede de ensino o direito de optar ou não pelo retorno presencial e a capacidade de alunos por turma, conforme suas condições físicas. “A partir do amparo legal, cada unidade estabelece sua organização. No âmbito da rede municipal, seguindo a determinação do decreto, chegamos à conclusão de que, neste momento, nossa infraestrutura não consegue atender 100% dos alunos presencialmente, porque não cumpriria com o distanciamento de 1 metro. Sendo assim, optamos pelo retorno de 50%, com rodízio de estudantes”, avalia Souza, acrescentando que somente as escolas dos distritos recebem 100%, porque o número reduzido de alunos permite cumprir o distanciamento.

Análises e estudos semanais estão sendo realizados pela Semeb, segundo o secretário, considerando percentual de vacinação e curva de infecções e mortes, para definir a possibilidade do retorno integral dos alunos em todas as escolas municipais. Esta afirmação foi confirmada pelo prefeito Lucas Seren, em entrevista à RB FM, na sexta-feira (20).

Sobre o retorno obrigatório dos alunos, Souza diz que, assim como o Governo Estadual, Bebedouro está analisando, diariamente, a situação de cada unidade escolar e a frequência dos alunos, para definir quando será determinada a obrigatoriedade da participação dos estudantes. “O Estado preconiza que o retorno obrigatório deva acontecer 14 dias após todos os profissionais da educação receberem a 2ª dose. Em Bebedouro, além destas obrigações, analisaremos também o contexto epidemiológico para, junto da Secretaria de Saúde, anunciar a obrigatoriedade”, afirma o secretário. A 2ª dose dos educadores em Bebedouro está prevista para a segunda quinzena de setembro.

Após receber denúncias de que escolas municipais teriam profissionais contaminados com a Covid, a Gazeta questionou o secretário, que garantiu estar realizando acompanhamento diário, em todas as unidades, e que, apesar de alguns poucos funcionários estarem contaminados, todos estão cumprindo isolamento em casa e não há necessidade de alerta para que o atendimento em qualquer unidade seja suspenso.

Um passo importante no avanço gradativo das ações escolares, segundo o secretário, foi o retorno da merenda escolar, pois pela pandemia, estavam sendo servidos lanches individuais. “A alimentação é parte fundamental no processo de aprendizagem, para que a única preocupação de nossas crianças seja o foco no aprendizado. Este é um passo importante no contexto da pandemia, permitindo atendê-los naquilo que é essencial”, diz Souza.

O secretário afirma, direcionando-se aos pais de alunos, que a escola é um dos locais mais seguros para as crianças: “Se retardarmos ainda mais o retorno, o prejuízo poderá ser sanado somente daqui várias gerações. A situação está controlada, estamos seguindo todos os protocolos e a escola é o melhor lugar para qualquer criança”.

Outras instituições

Em Bebedouro, outras instituições de ensino optaram pelo retorno parcial dos alunos, como Etec e Senac, que pela falta de espaço para atender todas as turmas com distanciamento, optaram por continuar com limitação de estudantes. “Na Etec, estamos fazendo rodízio de alunos, porém, as aulas são ao vivo tanto para quem está na instituição, como para quem assiste de casa”, afirma o diretor Lucas Cruz.

“O Senac está fazendo um movimento de retomada no Estado todo, porém, em Bebedouro, retomamos presencialmente apenas algumas turmas, por limitação de espaço”, justifica a gerente Pollyanna Diniz, acrescentado que a unidade estuda o retorno integral a partir da mudança para o novo prédio.

O Imesb optou por manter aulas remotas, sem previsão de retorno presencial, seguindo orientação do Conselho Estadual de Educação, em reunião com conselheiros. Já a Escola Sesi, que temporariamente ocupa espaços do Imesb, enquanto sua unidade recebe reformas, já retomou atividades com 100% dos estudantes em sistema presencial.

Todas as entidades educacionais afirmam seguir as recomendações de prevenção à Covid descritas no decreto.

Governo de SP lança programa contra evasão

O Governo do Estado lançou, na quinta-feira (19), o programa “Bolsa do Povo Educação”, aos estudantes mais vulneráveis da rede estadual de Educação. A ação prevê pagamento de R$ 1 mil por ano letivo, para o combate à evasão escolar. Serão investidos R$ 400 milhões, com aportes de R$ 100 milhões, ainda em 2021 e de R$ 300 milhões, no ano letivo de 2022.

No lançamento, o secretário de Educação, Rossieli Soares, destacou que a pandemia é o maior desafio já enfrentado pela educação brasileira, porém, o retorno às atividades escolares mostra outro desafio a ser enfrentado: a evasão dos alunos, especialmente no ensino médio, quando apontou dados da Unicef em que 5,1 milhões de crianças e jovens desistiram dos estudos em 2020. “Na América Latina, a taxa de conclusão do ensino médio voltou aos níveis de 1971 a 1975, por causa da pandemia. São décadas de retrocesso”, lamentou Soares.

O governador João Doria destacou a importância da iniciativa para que estudantes não precisem escolher entre seu futuro e a necessidade de renda para sua família. “Com isso, São Paulo demonstra respeito pelos mais jovens, pela vida e pelo futuro”, afirmou Doria, justificando que o Estado tomou decisão de retomar as atividades educativas devido à redução de casos, óbitos e internações pela 6ª semana.

O programa contempla alunos do ensino médio e 9º ano do fundamental. As inscrições devem ser realizadas de 30 de agosto a 10 de setembro, pelo portal bolsadopovo.sp.gov.br.

Bebedouro assina convênio com “Bolsa do Povo”

O prefeito Lucas Seren anunciou, na quarta (18), a conquista de mais um convênio com o Governo de São Paulo, o “Bolsa do Povo”, por intermédio do assessor do vice-governador, Fernando Galvão, e do deputado federal Geninho Zuliani. O programa estadual de assistência social para famílias em situação de vulnerabilidade ainda não divulgou o valor do convênio. A divulgação está prevista para as próximas semanas.

Publicado na edição 10.603, de 21 a 24 de agosto de 2021