Eleição: o sonho dura pouco

0
369

Antonio Carlos Álvares da Silva

Faltando um mês para as eleições presidenciais, o quadro político é sombrio. Depois de 4 anos de governo Dilma, já se viu, que sua reeleição será apenas a continuação da queda da economia: Inflação em alta e nenhum crescimento da indústria e do PIB – Produto Interno Bruto. Enquanto isso, a dívida do governo cresce e já passou de 2 trilhões de reais. De todos países das Américas, o nosso é o que menos está crescendo. Até os Estados Unidos, em crise monumental, cresce mais. Pior que o Brasil na América só a Venezuela, que Dilma não cansa de apoiar. Chile, Peru, Colômbia e México crescem 4 vezes mais, mas o Brasil se recusa negociar com eles. O único setor, que continua crescendo aqui, é a agricultura, apesar de todas dificuldades criadas pelo INCRA, IBAMA e Índios. Preso ao Mercosul, o Brasil não consegue negociar com a Europa. Resumo: A continuação do governo Dilma será um desastre. Ela é uma pessoa medíocre e se cerca de auxiliares igualmente medíocres. Existe o agravante, que o propósito maior do seu governo é manter o PT no poder, mesmo que seja preciso capitalizá-lo, através da corrupção. A opção apresentada ao governo Dilma até agora é a candidatura de Marina Silva, líder do movimento ambientalista. Infelizmente é uma barca furada. Ela nunca administrou sequer uma barraca de feira. Sua atuação no senado e no ministério do Meio Ambiente mostrou, que ela vive longe da realidade. Não tem propostas de governo e pior: Não tem equipe de governo. Como é oriunda do PT a tendência é não mudar nada. Isso, porque a outra variante seria implantar suas ideias sonháticas de transformar o Brasil em um imenso jardim tropical, deixando pouco para a agricultura e para pecuária. Atualmente, mais de 60% dos brasileiros, querem mudanças no governo. Essas mudanças variam de grupo, para grupo. Parece, que Marina está se apresentando como a porta voz dessas mudanças. Mas, sem propostas concretas, sem estrutura administrativa e sem experiência para captar as prioridades, ela pode ser uma grande decepção. Essas incertezas transformam esta eleição em uma grande incógnita, na qual ninguém sabe o que vai acontecer. Aécio Neves poderia ser uma opção melhor. Afinal, ele governou com sucesso o estado de Minas Gerais tem experiência administrativa. Já foi governo e oposição e tem ideias mais práticas. Porém, ainda não conseguiu empolgar uma grande parte do eleitorado, que quer mudanças na Segurança Pública, na saúde, na educação. Poucos sabem que, para isso, é precioso mudar o sistema de governo, simplificando as leis tributárias. Somente assim, as leis ficarão mais eficazes. Então, só nos resta sonhar, para que uma luz apareça, para iluminar nosso futuro presidente.

 

(Colaboração de Antonio Carlos Álvares da Silva, advogado bebedourense).

Publicado na edição nº 9739, dos dias 30 e 31 de agosto e 1° de setembro de 2014.