Esse é o maior problema

0
100

Antonio Carlos Álvares da Silva

Neste ano, com a justificativa de seca e, consequente falta dágua, houve um recrudescimento da campanha dos ambientalistas. Embora, a experiência tenha mostrado, que na maioria dos casos, as alterações climáticas sejam cíclicas, isto é, aconteçam periodicamente, os ambientalistas culpam o aquecimento global, como a única causa das alterações climáticas. O desmatamento diminuiu.
Então, os antigos ecologistas, rebatizados de ambientalistas, encontraram um novo vilão, para o aumento de emissão de gás carbônico no Brasil: A criação de gado. Alegam, que os bovinos, ao ruminarem e respirarem, expelem uma grande quantidade de CO², com aumento do aquecimento global. O fato de a criação de gado aumentar a produção de proteína animal e alimentar milhões de pessoas, não merece relevância. Eles esquecem, que a diminuição de alimentos torna a vida mais difícil. E o aumento do preço prejudica especialmente os mais pobres. Sobre esse foco, uma questão merece ser discutida: Será esse o problema mais importante a ser discutido no Brasil? A pergunta é pertinente, porque atualmente, um outro problema assola a sociedade brasileira: É a violência praticada por jovens adolescentes, que rapidamente, está se estendendo para as crianças, menores de 12 anos. Tornou-se comum a notícia de crianças de ambos os sexos, que praticam violência, inclusive nas escolas, onde destroem equipamentos e agridem colegas e professores. É um grave problemas educacional, que deveria merecer prioridade das pessoas que se dispõem a discutir os problemas da humanidade. Realmente, o ambiente merece proteção, porque melhora a condição de vida das pessoas. Mas, me parece, que a diminuição da violência é essencial, para a vida cotidiana. E se o problema é educacional, quem necessita ser acionado, para discutí-lo e tomar as providências, para melhorar a educação da juventude? Antigamente a educação cabia essencialmente à família, já que os jovens passavam a maior parte do tempo, com os pais e avós. Com a maior profissionalização do trabalho e da economia, a tarefa de educar passou a ser divida, com a escola.
O problema é, que a família está se concentrando no sustento dos filhos e os professores na sua instrução científica. Ambos acabam se esquecendo da educação da personalidade, no que diz respeito à disciplina e aos costumes. A crise econômica nacional está levando o problema a seu ápice. Os brasileiros se desdobrando, para manter sua renda e os professores em greve em busca de melhores salários. Sob essa alegação grupos de professores estão partindo para a violência, em vários estados. No estado de São Paulo eles arrombaram as portas da Assembléia Legislativa e invadiram o plenário. E nos dias seguintes quebraram a porta da Secretaria da Educação ( O prédio está tombado pelo patrimônio histórico do Estado). A polícia precisou usar a força para contê-los. Também ocupam as vias públicas e tentam outras invasões. Sempre enfrentando a força da polícia. Por aí se vê nas mãos de quem estão nossas crianças. Se a educação depender de bons exemplos a coisa só vai piorar.
(Colaboração de Antonio Carlos Álvares da Silva, advogado bebedourense).