Parque da Família: nosso ponto de encontro

0
157

Fernando Galvão Moura

Dia 11 de junho, às 15h, concretizo um dos meus sonhos, inaugurando a 2ª etapa da revitalização do Lago Artificial.
Passei minha infância e adolescência frequentando o nosso Lago. Lembro com muito carinho de cada um dos meus amigos, dos meus irmãos, da minha mãe sempre tão atenta e preocupada. Nossa turma gostava de jogar bola, andar de bicicleta, carrinho de rolemã, brincar com bolinha de gude… Ah, que saudade!
Como morador ficava triste por ver uma parte tão importante da nossa cidade abandonada há anos. Quando assumi, como prefeito, um dos meus sonhos era ver as crianças correndo naquele mesmo espaço onde fomos tão felizes. Vivíamos em uma época tão diferente, sem tanta tecnologia, sem celular, estava ainda começando a febre do vídeo game e dos computadores. Hoje as coisas mudaram muito.
É esse ar de infância saudável das décadas passadas que eu tanto pensei em trazer de volta para Bebedouro. Uma infância com esporte, lazer, com a família junto, com piqueniques, enfim. Queria um parque sustentável, um chafariz, pedalinhos para toda família, uma minicidade, trilha ecológica. Um local lúdico, que unisse nossas crianças de toda a cidade, de todos os bairros e distritos, para fazer novos amigos e ter a infância que a minha geração teve.
Ao mesmo tempo, queria também que o lago acolhesse os pais, os adultos e os jovens. Decidi criar ciclovia, pista de caminhada, instalar novos bancos, lixeiras, a ciclofaixa, modernizar a iluminação e implantar uma ecoacademia ao lado do parque infantil – assim os adultos cuidam da saúde e da qualidade de vida enquanto os pequenos se divertem.
O projeto foi grandioso e desafiador. Sabíamos disso. Não bastava revitalizar o parque, era necessário combater as enchentes, desassorear e limpar todo o lago, que foi, com certeza, o nosso maior desafio. Há 40 anos o local não passava por uma limpeza tão profunda. Foram centenas de dragas, retroescavadeiras, tratores e caminhões basculantes retirando os detritos. Quantas pessoas disseram que não iríamos conseguir? Até alguns maldosos torcendo contra tudo que estávamos fazendo. Mesmo assim, seguimos firmes em nosso objetivo! Foi uma etapa complexa, durou mais de dois anos, mas valeu a pena.
Ao fazer esse desassoreamento Deus enviou um presente a todos nós, bebedourenses: descobrimos oito nascentes de água. Nosso lago voltava a respirar, brotava vida! Decidimos ampliar o projeto com três importantes objetivos: lazer para toda a família, combate às enchentes e a criação de um grande reservatório de água para o período de seca. Hoje já conseguimos retirar uma grande quantidade de água para abastecer a cidade, a região não sofre com enchentes e as famílias estão de volta ao coração de Bebedouro.
Obra quase concluída, pedimos para as crianças e adultos escolherem o nome deste novo espaço. Abrimos votação no site da prefeitura e nas escolas. O nome escolhido resume, pelas felizes coincidências da vida, o espírito do nosso projeto, um lugar abandonado há muitos anos, mas que agora é devolvido aos bebedourenses. É o nosso “Parque da Família”.
Hoje sinto um misto de sentimentos. O de dever cumprido como prefeito, é claro, mas o meu orgulho como cidadão bebedourense é muito maior. Foi um trabalho complexo, difícil, mas conseguimos!
Agradeço a Deus, a toda minha equipe e a cada bebedourense que me deu a oportunidade de sonhar, de arregaçar as mangas, trabalhar por uma Bebedouro melhor e lutar por este sonho que era meu, mas agora é NOSSO.
Parque da Família é o nosso novo ponto de encontro. Até lá!
(Colaboração de Fernando Galvão Moura, Prefeito de Bebedouro).

Publicado na edição nº 9993, de 4, 5 e 6 de junho de 2016.