Quase pronto

0
133
(Divulgação)

O Stamatão prepara-se para receber a Inter e seus adversários nas disputas do Campeonato sub-23, com gramado sendo tratado e detalhes sendo ultimados. A data de início está marcada, embora sem torcida presencial, com torcida à distância. Força pro Lobo Vermelho!

 

 

(Arquivo pessoal)

Nova geração – Dos bisavós, passando dos avós aos filhos e agora os netos, todos têm espaço garantido na página da Gazeta, pelo compromisso de saudar as famílias bebedourenses com nossa amizade. Na foto 1, a comemoração dos 3 anos da linda Maitê, com o irmão Rafael e os pais Maisa e Tiago Cardoso. Os avós em quarentena Cardoso e Lúcia, estão sentindo como é difícil essa separação. Na foto 2, já a mesma quarentena, trouxe pra perto dos avós Bia e Roque Marchesi, a pequena Lis, filha da Bruna e Cármino. O sorriso da Bia está mais garantido que nunca, debaixo da máscara. (Arquivo pessoal)

 

Frase da semana:

“É preciso admitir a barbárie para salvar a democracia”

Cristina Serra, jornalista e articulista da Folha de São Paulo.

 

70 anos
Na sexta-feira (18), a televisão brasileira faz 70 anos. Na véspera, dia 17, às 22h15, a TV Cultura estreia o documentário em série, produzido pela emissora, sob o nome Os Campeões de Audiência.
São três episódios semanais, produzidos por Henrique Bacana e participação de 70 grandes nomes, artífices desta história da televisão, como Lima Duarte, Betty Faria, Laura Cardoso, Tony Ramos, Nilton Travesso, Jayme Monjardim, Regina Duarte, Ernesto Paglia, Tino Marcos, Sergio Motta Mello, Zeca Camargo, Astrid Fontenelle, Marcelo Tass, Rolando Boldrin, Tiago Leifert, Washington Olivetto, Angélica, Tais Araújo, Ney Latorraca, Pedro Bial, Nizan Guanaes, Lucélia Santos, Carlos Alberto de Nóbrega, José Luiz Datena, Ratinho, Xuxa, Silvio de Abreu, Susana Vieira, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, entre tantos.

Uma das melhores do mundo
Se há uma coisa que o Brasil aprendeu fazer bem feito chama-se televisão e a série tem o objetivo de mostrar isso com a cara daqueles que empenharam talento, criatividade e suor: atores, diretores, dramaturgos, jornalistas, músicos, produtores, narradores, atletas e outros.
O momento atual parece mesmo sob medida para refletir sobre o papel da telinha, pois nunca se ficou tanto tempo com a tevê como companhia. O programa começa justamente nesse passado recente, revivendo março de 2020, quando todos os televisores deram a mesma notícia. A partir daí, adiou-se o que podia ser adiado ou mesmo projetos foram cancelados, e o foco foi todo concentrado no jornalismo. Passado o impacto, agora questiona-se como será daqui pra frente. A série documental quer mostrar tudo isso, a partir do sonho de Assis Chateaubriand, cujo início foi baseado no talento, mas principalmente na raça de quem apostou na ideia.

Recorde
A safra de grãos desta safra deve alcançar recorde histórico de 257,8 milhões de toneladas, liderada pela soja, pelo milho e algodão: 4,5% ou 11 milhões de toneladas a mais, conforme divulgado pela Conab na quinta (10). A soja, que já dá ao país o título de maior produtor mundial, garante novo recorde com a produção estimada em 124,8 milhões de toneladas (ganho de 4,3%).

Revolta do arroz
Para o amado arroz, a estimativa é de 11,2 milhões de toneladas e crescimento de 6,7% em relação à última safra. Com a colheita praticamente finalizada, 10,3 milhões de toneladas estão em áreas de cultivo irrigado e cerca de 900 mil toneladas em plantio de sequeiro, segundo o Mapa, que garante que não há risco de faltar um dos protagonistas do prato do brasileiro, dizendo que não há falta do produto, mas que estamos apenas com um momento de preços altos, motivados pelas exportações. Ainda de acordo com o órgão, a importação de arroz com imposto zerado servirá para complementar o abastecimento no país. A Camex decidiu na quarta (9), zerar o imposto de importação para cota de 400 mil toneladas de arroz (em casca e beneficiado) até 31 de dezembro de 2020. Quem viver comerá.

Cada um per si
O deputado federal Geninho Zuliani (DEM/SP) propôs projeto de lei que garante separação de bens de pessoas casadas, ou em união estável, a partir de documento feito antes de oficializar a relação. O objetivo da proposta é garantir que bens adquiridos depois do casamento não sejam compartilhados, já que a Súmula 377 do STF, de 1964, determina que bens imóveis adquiridos depois do casamento sejam compartilhados, em casos de posterior separação. Assim, possibilita que a comunhão de bens adquiridos poderá não ser considerada automática, desde que prevista em instrumento particular. Aviso aos navegantes ou aos interesseiros.

Crescimento antes da pandemia
O Ensino a Distância (EaD) no período de 2009 a 2018, registrou aumento de 145% em matrículas. Entre 2017 e 2018, o aumento foi de 16,9%, enquanto as presenciais tiveram queda de 2,1%. Os dados são da 10ª edição do Mapa do Ensino Superior no Brasil 2020, tendo como base os números do Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais).
Mas o acesso à educação superior ainda está muito longe do ideal e tem muito espaço para crescer, pois só atende 15,3% da população, índice bem distante dos vivenciados nos países que promovem justiça social.

Ações pelo próximo
A Casa da Amizade do Rotary Solidariedade, desde julho sob o comando de Ana Lúcia David Stamato, em atividade remota promove duas ações sociais. Dia 16 (na quarta), esta em coprodução com o Rotary Club, fará live para discutir como manter a saúde ginecológica em dia, em tempos de pandemia. E no dia 26 (um sábado) promove venda de esfihas em benefício do Lar do Idoso.

 

Publicado na edição nº 10517, de 12 a 15 de setembro de 2020.