Centenário da Escola Estadual Gustavo Fernando Kuhlmann (1922-2022)

Por José Pedro Toniosso

0
123
100 anos - Grupo Escolar de Botafogo em 1942, conforme Relatório da Delegacia Regional do Ensino de Jaboticabal.

A formação do distrito de Botafogo teve início no final do século XIX, associado ao processo de ocupação da região de Bebedouro, em decorrência da busca de novas áreas para a produção agrícola e pecuária. Ainda neste período, com a construção das primeiras casas e o aumento da população, surgiu a demanda pelo ensino elementar, o que fez com que fossem criadas as primeiras classes escolares, conforme Projeto de Lei no. 15, do Congresso Legislativo do Estado de São Paulo, de 4 de maio de 1897, que autorizou a abertura de duas turmas, sendo uma para cada sexo.

Tempos depois, em 1922, por meio de Decreto publicado em 6 de fevereiro, ocorreu a criação das Escolas Reunidas de Botafogo, cuja instalação deu-se em 6 de março, formada por quatro classes que funcionavam em um mesmo período, em imóvel localizado junto à estação ferroviária daquele Distrito. O referido prédio fora construído em 1919 pela própria população do Distrito, com auxílio da Prefeitura de Bebedouro, a quem ficou pertencendo o imóvel.

Por meio de decreto de 14 de abril de 1932 esta unidade escolar teve seu nome alterado para Grupo Escolar de Botafogo, mas suas instalações já se mostravam insuficientes para atender a clientela escolar, conforme foi constatado no Relatório de 1940, da Delegacia Regional do Ensino de Jaboticabal, elaborado pelo inspetor escolar substituto, Erasmo Kerbeg, que assim descreveu a situação: “O Grupo Escolar de Botafogo funciona em prédio da Prefeitura Municipal, que o cede gratuitamente ao Estado. O seu estado é mau, estando muito sujo, muros caídos e paredes rachadas. Havia a Prefeitura resolvido reformá-lo durante estas férias, mas posteriormente deliberou ofertá-lo, em doação, ao Governo do Estado, estando já os papeis devidamente encaminhados”.

No entanto, antes de efetivar a transferência de propriedade do imóvel, a Prefeitura de Bebedouro realizou uma ampla reforma e somente depois fez a doação para o Estado, que foi autorizado a recebê-lo por meio do Decreto no. 12.944 de 15 de setembro de 1942. Naquele ano, a escola possuía quatro classes, uma de cada série, funcionando duas em cada período, com um total de 179 alunos matriculados, dos quais 98 eram do sexo masculino e 71 do feminino.

Em 17 de março de 1956, no mandato do governador Jânio Quadros, a escola passou a ter como patrono “Gustavo Fernando Kuhlmann”, por meio do Decreto no. 25.632, que incluiu a seguinte justificativa:

“Considerando que o professor Gustavo Fernando Kuhlmann exerceu, em longa e proveitosa atividade educacional, os cargos de professor primário, diretor de grupo escolar e professor de educação, tendo em todos eles revelado notável espírito público e profundo apego à causa da instrução popular; […]

Considerando não ter ainda denominação o grupo escolar de Botafogo, no município de Bebedouro onde o interessado iniciou a sua carreira de professor público neste Estado;[…]

Decreta: Artigo 1.º – Fica denominado grupo escolar “Gustavo Fernando Kuhlmann” o grupo escolar de Botafogo no município de Bebedouro

Em 12 de fevereiro de 1960, durante o governo do prefeito Hércules Pereira Hortal e por meio da Lei no. 417, a Prefeitura Municipal de Bebedouro foi autorizada a assinar contrato com o Instituto de Previdência do Estado de São Paulo para a construção de um novo prédio para a escola em terreno destinado a este fim, e no ano seguinte houve a transferência do estabelecimento para o novo prédio, o mesmo em que funciona atualmente.

Em 1976, por meio da Resolução da SEE no. 13, a unidade escolar passou a ser denominada “Escola Estadual de Primeiro Grau Gustavo Fernando Kuhlmann” e a partir de 1998 até os dias atuais, “Escola Estadual Gustavo Fernando Kuhlmann”. A partir de 2003, além das séries finais do Ensino Fundamental, a escola iniciou a implantação do Ensino Médio e a partir do ano seguinte, a Educação de Jovens e Adultos, no período noturno. Desde 2020, a escola integra o Programa de Ensino Integral (PEI), com proposta educacional diferenciada que inclui projeto de vida, orientação de estudos, tutoria, práticas experimentais e clubes juvenis, entre outros componentes curriculares.

Sobre Gustavo Fernando Kuhlmann, patrono da escola, publicaremos sua biografia na próxima edição desta coluna, com destaque para sua atuação na educação paulista e mato-grossense.

Publicado na edição 10.649, de sábado a terça-feira, de 5 a 8 de março de 2022.