O poeta da rosa amarela

Waldemar de Mello, o colunista que modificou a crônica social de Bebedouro, sob o codinome de Marquês de Sando"al.

0
2067

8 de dezembro, dia do Colunista Social

“O frio chega com o inverno, mas o frio maior, mais triste, mais profundo, mais amargo, é aquele que mora no coração…”, esta foi a última crônica escrita por Waldemar de Mello, o eterno ‘Marquês de Sandoval’, que encantava os bebedourenses com sua coluna social, na Gazeta de Bebedouro.
Professor por formação, Waldemar de Mello modificou a crônica social de Bebedouro, emprestando-lhe toda a gama de seus conhecimentos e seu senso crítico, projetando pessoas, promovendo tudo que de bom acontecia em Bebedouro.
Atendendo ao pedido de seus leitores, a Gazeta homenageia os colunistas sociais da cidade – cuja data é comemorada em 8 de dezembro – através do saudoso Waldemar de Mello, que foi tão profundo e dinâmico nesta atividade, que é considerado um ícone.
Como colunista, retratou os acontecimentos da terra que tanto amava, com zelo, edificando o lado bom da sociedade, abordando romances felizes, noivados invejáveis, nascimentos, aniversários e falecimentos, todos narrados com afeto e carinho.
Nascido em 11 de abril de 1.928, residia na rua Francisco Inácio, 147, era solteiro e trabalhava como professor efetivo no EEPG Dr. Paraíso Cavalcanti, onde dedicou-se durante 30 anos.
Os cursos primário e ginasial foram concluídos em São Paulo, no Grupo Escolar Campos Salles e no Ginásio Paulistano. O curso normal fez no antigo Ginásio Estadual e Escola Normal Dr. Paraíso Cavalcanti. Posteriormente, formou-se em Técnico.

(…)

Leia mais na edição 10344, de 8, 9 e 10 de dezembro de 2018.