Oscar: o caso que virou saga

0
171

O Sâo Paulo convocou mais um aliado para a guerra de conflitos mais chata e mais enrolada dos últimos anos do futebol brasileiro. O Caxias, clube que enfrentou o Internacional no domingo (6), na primeira partida da final do Campeonato Gaúcho, foi envolvido na confusão no caso Oscar. Sim! Grande e complicada confusão. E a grande culpada desta confusão é a justiça desportiva e trabalhista deste país. Entendamos o porquê…
Quando Oscar venceu, em primeira instância, a batalha judicial, ele assinou contrato com o Internacional de Porto Alegre. Até aí tudo certo porque o contrato com o São Paulo passaria a ser inválido e ele estaria livre para assinar com qualquer clube de seu interesse. Porém, movido por um interesse sobrenatural e misterioso, o São Paulo correu atrás do “prejuízo” na justiça e venceu o processo. Portanto, o contrato do jogador volta a ser com o Tricolor paulista. E aí nasce a confusão, porque se o contrato dele com o São Paulo voltou a ter validade, o contrato com o Inter deveria ser cancelado. Porém, o contrato com o Inter é legal, e não influencia no contrato com o São Paulo, logo, o jogador teria dois contratos legais com dois clubes distintos, porém com inscrição válida como jogador, somente do São Paulo.
E se já estava difícil de entender toda esta bagunça de contratos – e deste último parágrafo – complicou-se ainda mais. O jogador recebeu na quinta-feira (26 de abril) um habeas corpus pra poder exercer seu futebol pelo Internacional. Ele foi inscrito, também, como jogador do Inter e atuou na final contra o Caxias, inclusive marcando o gol de empate. O pior de tudo é ver a CBF tão perdida quanto o leitor deste artigo, porque afirma que ambos os contratos são legais e ambas as inscrições são válidas. Agora fica a questão: Pode isso, Arnaldo?
O certo é que o menino não quer voltar pro São Paulo e o Tricolor sabe disso e quer usá-lo como moeda de troca para uma grande contratação no meio do ano. O Inter também sabe disso e não quer ver voando centenas de milhares de reais sem retorno. E o Caxias, que sabe de tudo isso, quer ganhar o Gauchão sem ter que enfrentar o Inter no Beira-Rio.

 

(Colaboração de Rafael Barbosa email: rafa.gazeta@hotmail.com e Deborah Ribeiro, e-mail deborah_voga@live.com)

Publicado na edição n° 9398 dos dias 10 e 11 de maio de 2012.