Penúltima coluna do ano

0
237

Os desafios do novo governante de Bebedouro para os próximos quatro anos.

A partir de 1º de janeiro começa um novo governo e uma nova formação da Câmara de Vereadores. Todos com disposição de mudar alguma coisa em Bebedouro.
O eleitorado da cidade tem demonstrado que não está com paciência com políticos suspeitos de corrupção ou inércia no cargo. Por isto, que nenhum prefeito tem sido reeleito.
O advogado e professor universitário Fernando Galvão assume com o desafio de tentar romper com esta tendência. Vai suceder um governo que está atolado em polêmicas causadas por problemas internos.
O novo prefeito não elegeu uma grande bancada de vereadores, portanto, não será surpresa se tiver que enfrentar oposição sistemática no Poder Legislativo.
E para completar o quadro, a Prefeitura está bem endividada, com atraso de pagamento com muitos fornecedores, portanto, parte do primeiro ano de mandato será gasto para quitar dívidas herdadas.
Além disto, como a cidade teve mais quatro candidatos a prefeito, que derrotados nas urnas, vão se esforçar muito para assumir o papel de oposição, e não vão perdoar qualquer erro. Eles vão usar rádios e jornais nos próximos quatro anos para falar que fariam melhor. É natural, óbvio e estão no papel deles. Eles acham que não terão chance de ganhar as próximas eleições se ajudarem o novo prefeito.
Portanto, o desafio de Galvão será ter criatividade politica e administrativa para conseguir governar e fazer as obras necessárias para consertar a cidade.
Mas talvez, o segredo político seja exatamente não focar tanto nos problemas, mas nas soluções. O novo prefeito será reeleito se gastar mais tempo trazendo verbas e novos investimentos para Bebedouro, e souber aproveitar parte das críticas da oposição para consertar algumas coisas ao longo de quatro anos de mandato.

(Colaboração de Marco Antônio dos Santos, jornalista).

 

Publicado na edição n° 9488, dos dias 18 e 19 de dezembro de 2012.