Ser melhor

José Mário Neves David

0
147

O encerramento de 2019 se aproxima e, com ele, chega o momento das famigeradas reflexões de final de ano. Passamos a limpo tudo aquilo que (não) fizemos no ano prestes a se encerrar: as dietas iniciadas e não terminadas, a academia paga e não frequentada, as manhãs frias em que não levantamos para fazer exercícios físicos, o tempo gasto em redes sociais em que poderíamos ter ficado mais com as pessoas que amamos, dentre muitas outras atividades, importantes ou não. Brincadeiras à parte, há, contudo, uma reflexão importante a ser feita: apesar de todos os percalços, fomos, em 2019, melhores do que nos anos anteriores?
É evidente que nem tudo são flores em nossa caminhada. Há épocas, dias, meses, em que os astros estão a nosso favor e coisas boas e profícuas acontecem em nossa vida; há, por outro lado, períodos em que “as coisas não encaixam”, onde tudo parece dar errado e a maré de azar parece não ter fim. Faz parte da vida, temos que ser fortes e conscientes o suficiente para entender que tudo passa – os momentos bons e os ruins. Em meio a um mar de incertezas, uma importante reflexão, contudo, pode – e deve – ser feita: apesar de todos os pesares, dos momentos bons e ruins vividos, somos hoje melhores do que fomos ontem? Esse é o ponto a ser analisado, e chegar a uma conclusão nem sempre é tão óbvio quanto parece.
A melhora, da forma mais ampla, pode ser observada sob variados ângulos: podemos ter sido melhores amigos(as), melhores filhos(as), melhores pais, melhores mães, melhores irmãos, melhores namorados(as), melhores funcionários, melhores patrões, enfim, uma infinidade de papéis. Há quem foi quase tudo isso; há quem não foi nada. Independentemente do grau e da quantidade de melhorias, o importante é olhar para 2019 e verificar, com clareza, se fomos melhores, ao menos, em algo em relação a 2018, 2017, 2016…
Nesse contexto, a busca pela melhoria nada mais é do que um sinal de progresso, crescimento e, por que não, de maturidade. Se melhoramos em algo, se nos esforçamos para sermos mais, nós nos demos a chance de evoluir, nos permitimos ousar e vencer. O processo de melhoria é lento, mas é gratificante, pois, com o progresso, nossa melhor versão vem à tona.
Dessa forma, em nossa reflexão de final de ano, é muito válido não apenas agradecer pelo que conquistamos em 2019 como, também, refletir se fomos efetivamente pessoas melhores no ano que está prestes a se encerrar, se permitimos a nós mesmos, nos últimos 12 meses, sermos nossa melhor versão. Se a análise resultar em uma conclusão positiva, o ano de 2019 valeu, e muito, a pena. Se, por outro lado, não tivermos sido melhores em 2019, 2020 está aí, novo em folha, à disposição daqueles que querem o melhor de e para si. Essa é a graça do tempo: ainda que o ano que se encerra não tenha sido tão proveitoso, há sempre uma nova oportunidade, um novo período de braços abertos para que sejamos ainda melhores, basta querer.
Que em 2019 você tenha sido melhor que em 2018, e que no ano que em breve se inicia você possa ser melhor do que foi em 2019. Boas festas a todos e até 2020.

(Colaboração de José Mário Neves David, advogado em São Paulo-SP. Contato: josemariodavid@gmail.com).

 

Publicado na edição nº 10454, de 21 de dezembro de 2019 a 14 de janeiro de 2020.