Tratamento de águas residuais: A verdadeira entrada para o seleto mundo desenvolvido.

0
213

Um indivíduo que nascia na Roma antiga (500 a 400 a. c.) tinha 50% de chance de morrer antes de completar um ano de vida, isto é, uma em cada duas crianças nascidas vivas não alcançaria aquela idade. Caso tivesse a sorte de pertencer à classe dos sobreviventes, sua expectativa de vida não ultrapassaria os 30 anos. Esta realidade perdurou ainda por muitas centenas de anos, pois, por exemplo, no século 14, 1/3 da população da Europa morreu em um surto de “peste negra”, a maioria de crianças e jovens, e na Alemanha do início do século 19, a expectativa de vida não ultrapassava os 31 anos. Como se nota, viver muito não era tarefa fácil para nossos antepassados.

(…)

Leia mais na edição nº 9968, de 2, 3 e 4 de abril de 2016.